sábado, 26 de março de 2016

Dicas para diminuir Alergias nas Mãos - Disidrose


Alergias nas mãos e pés está se tornando cada vez mais comuns. Geralmente após uso de detergentes, produtos de limpeza e até mesmo sabonetes e shampoos, as mãos começam a ressecar e a pele descamar, formando aqueles machucados, tornando as mãos e pés muito sensíveis. 

Estas alergias podem ser causada pela perca da oleosidade da pele, formando assim a descamação.

Existe também aquelas descamações causada pela disidrose e erupções disidrosiformes que são caracterizadas pela ocorrência bolinhas nas extremidades dos membros, geralmente de caráter crônico e recidivante.

A causa das disidroses ainda não esta totalmente estabelecida, mas pode estar muito ligada a alergias de produtos químicos em contato com a pele.

A disidrose e as erupções disidrosiformes se caracterizam pela formação de vesículas localizadas nas palmas e plantas, de acometimento bilateral e simétrico, especialmente nas porções laterais e dorsais dos dedos das mãos e dos pés. As vesículas rapidamente confluem, por vezes originando grandes bolhas. O conteúdo das vesículas é geralmente incolor, mas eventualmente pode tornar-se purulento (pus). Costuma ocorrer de forma recorrente. Nos estágios de involução predomina a descamação em decorrência do dessecamento das vesículas. O diagnostico da disidrose é essencialmente clinico.

A disidrose verdadeira corresponde a erupção vesiculosa aguda e recorrente. É mais comum durante o verão e esta, de modo geral, associada a estresse emocional. Sua etiologia é desconhecida. Caracteriza-se clinicamente pela presença de vesículas “secas” (erupção não exsudativa) que levam a escamação. Associam-se o prurido e a hiperidrose. Seus surtos duram aproximadamente três semanas, mas podem prolongar-se. Sua evolução crônica favorece a dermatite de contato alérgica, desencadeada principalmente por medidas terapêuticas não adequadas e por vezes associa-se também a infecção bacteriana.

Outro problema é a erupção disidrosiforme atópica que ocorre causando intenso prurido, as vesículas agrupam-se em placas na região palmar e/ou plantar, superfície lateral e dorsal dos dedos, aspecto que auxilia no diagnostico etiológico. Pode vir acompanhada de lesões de eczema em localizações típicas de atopia.

Uso de Sabonetes, Shampoos e até cremes podem piorar as alergias

Quando tomamos banho substituímos óleos e gorduras naturalmente da nossa pele por cremes hidratantes e isto pode causar muito mal, pois hidratantes, xampus e géis de banho, assim como muitos produtos de higiene que temos em casa, contêm detergentes.

Esses componentes químicos não apenas nos ajudam a remover oleosidades e sujeiras de nossa pele como também são usados para estabilizar as misturas em produtos de limpeza e mantê-los em forma cremosa.

O lauril sulfato de sódio (LSS), presente na composição destes produtos pode causar irritações severas na pele e até mesmo afetar suas funções.

Desidratação

O LSS foi identificado como o agente químico responsável pela irritação causada pelo produto e os estudos levaram autoridades médicas no Reino Unido a desaconselhar o uso do creme no tratamento de eczemas. O LSS pode ocasionar uma perda excessiva de água, sugerindo que há danos à superfície da derme destruindo assim a camada de pele.

O LSS, segundo cientistas ingleses, irrita a pele ao perturbar os óleos naturais que mantêm a integridade do tecido. Não apenas causa danos diretos, mas também reduz a habilidade da pele de proteger o organismo de alergênicos, incluindo o próprio LSS.

Uso de hidratante

Quase todos os produtos para a pele, incluindo hidratantes, contêm algum tipo de detergente - mesmo que não sejam tão poderosos e danosos como o LSS. Pessoas com pele sensível ou com tendência para eczemas podem ficar melhor com menos exposição ao LSS. A recomendação é procurar no mercado produtos que não tenham este detergente em sua fórmula.

Tratamento e Dicas para Disidrose e Alergias nas Mãos e Pés

- A lavagem cuidadosa das mãos, seguida da aplicação frequente de hidratante. Ex. Hidratantes de ureia 

- Deve ser evitado o contato direto com substancias irritantes e materiais de limpeza (sabão, detergentes, sabão em pó, desengordurantes, água sanitária), proteger as mãos e pés por meio de luvas de vinil e meias de algodão. 

- A indicação de corticosteroides tópicos (dexametasona, betametasona, desonida e Clobetasol) é amplamente difundida, embora algumas vezes o resultado possa ser desapontador. As pomadas por ser oleosas são mais eficazes do que os cremes e contem menor quantidade de conservantes do que esses.

- Se ocorrer machucados pode ser usados antibióticos tópicos como a pomada de Neomicina+Bacitracina.

- O uso de imunomoduladores tópicos transformou-se em promissora opção para o tratamento da disidrose. A desvantagem é que estes medicamentos tem um preço bem elevado. O tacrolimo e o pimecrolimo inibem a liberação de citocinas dos linfócitos T e dos mastócitos e tem sido utilizados em dermatites crônicas. O efeito colateral mais referido é a sensação de queimação e o calor.

- Diminuir o estresse ajuda a combater estes sintomas, pois estas alergias tendem a piorar quando aumentam a tensão.

- Nas dermatites das mãos, o estilo de vida deve ser modificado. É essencial evitar trabalhos úmidos no lar como lavar vasilhas, roupas e etc. O contato com níquel pode estar associado ao agravamento da disidrose, outros citam questionáveis reações de contato ou alergias a testes orais com níquel.

- As erupções disidrosiformes de origem micótica melhoram com antimicoticos. Ex. Cetoconazol, Clotrimazol, Terbinafina.

- Em casos mais graves, o médico pode indicar uso injetável de corticoides.

Fonte: BBC e drcaiorosahumaire.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...