sábado, 28 de março de 2020

Ibuprofeno e Covid-19 - Quais os riscos?


Os anti-inflamatórios não hormonais (AINH ou AINES), como o ibuprofeno, são medicamentos que têm em comum a capacidade de controlar a inflamação, de causar analgesia (reduzir a dor), e de combater a febre.

Tanto a ECA2(enzima de conversão de angiotensina tipo 2) e os AINHs, como o ibuprofeno, estão envolvidos na mesma via da inflamação.

O uso do ibuprofeno mostrou aumento da expressão de ECA2 nas células e portanto hipoteticamente também pode estar envolvido com maior risco de infecção.

O vírus Covid-19 pode atingir os pulmões. As proteínas da superfície do vírus se ligam a proteínas da membrana da célula chamadas ECA2 (em inglês ACE2), considerados os receptores funcionais para a infecção do vírus.

Desta forma, os vírus conseguem entrar na célula e se replicar, causando a infecção.


Qual a posição das autoridades quanto ao uso de ibuprofeno?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) não é contrário ao uso do ibuprofeno diante das evidências atuais.

O Ministério da Saúde brasileiro desaconselha o uso de ibuprofeno e outros AINEs, tais como o diclofenaco, o cetoprofeno e o naproxeno, se os pacientes tiverem sintomas relacionados à infecção da Covid-19. Nestes casos, usar preferencialmente a dipirona ou o paracetamol.

Com informações de PEBMED

sexta-feira, 27 de março de 2020

Covid-19 - Vitamina D aumenta a imunidade para combater o Vírus


A Vitamina D conhecida também como colecalciferol é um composto lipossolúvel essencial para manter o equilíbrio mineral no corpo, ajudar na produção hormonal e aumentar a imunidade.

É um hormônio importante e se não estiver presente em nível suficiente, os ossos podem perder espessura e se tornar quebradiços, ou passar por deformações, causando uma condição conhecida como raquitismo, em crianças, ou osteomalacia, em adultos.

As sociedades médicas brasileiras adotam o limite de 20 ng/ml para adultos saudáveis e de 30 ng/ml para pessoas com doenças como osteoporose, gestantes e para quem fez cirurgia bariátrica.

Vitamina D no combate ao Covid-19

A vitamina D pode ter um papel importante no tratamento e prevenção da covid-19, sugere um estudo da Universidade de Turim divulgado nesta quinta-feira (26/03), que analisou a relação entre a deficiência deste nutriente no corpo e o novo coronavírus.

Coordenado pelo professor Giancarlo Isaia, docente em geriatria e presidente da Academia de Medicina da cidade italiana, e por Enzo Medico, professor de histologia (estudo de tecidos), a pesquisa mostrou que "dados preliminares coletados nos últimos dias em Turim indicam que os pacientes com a covid-19 apresentam uma prevalência muita alta de deficiência de vitamina D".

Os dados apurados na pesquisa, segundo os dois especialistas, mostraram que a vitamina D tem papel ativo na regulação do sistema imunológico. 

Outras evidências indicam que o composto tem um efeito "na redução do risco de infecções respiratórias de origem viral, inclusive na do coronavírus". O elemento também teria capacidade de combater danos pulmonares causados por inflamações.

Ter vitamina D suficiente no organismo também "pode ser necessário para determinar uma maior resistência às infecções de covid-19, (possibilidade) que, apesar de haver menos evidências científicas, pode ser considerada verossímil", escrevem os pesquisadores.

Melhor Maneira de Obter Vitamina D

A melhor maneira de obter o hormônio é por via solar, e mesmo com o uso de protetor solar não há interferência de forma significativa na produção de vitamina D. 

A Sociedade brasileira de dermatologia determina que uma recomendação prática é nunca ficar no sol até a pele ficar avermelhada —nesse estágio há degradação, em vez de síntese, de vitamina D.

A dose recomendada de Vitamina D por dia é de 600 UI, veja os alimentos que contém este hormônio:

- 1 gema de ovo - 20 UI;

- 100g de atum enlatado - 230 UI;

- 100g de salmão - 250 UI;

- 100g de sardinha enlatada - 300 UI;

- 1 colher de chá de óleo de bacalhau - 400 UI;

- 10 minutos de sol - 3000 UI.

Dicas para Aumentar a Vitamina D no Organismo

- Obter vitamina D naturalmente a partir da exposição ao sol.

- Embora a luz solar seja a maneira ideal de otimizar sua vitamina D, o inverno e o trabalho impedem que mais de 90% das pessoas obtenham níveis ideais sem suplementação.

- Suplementação de Vitamina D.

- Aumentar a sua ingestão de vitamina K2 e magnésio, quer por meio de alimentos ou suplementos, e busque mudar-se para ou ficar de férias por longos períodos de tempo nos subtrópicos para obter vitamina D naturalmente a partir da exposição ao sol.

segunda-feira, 23 de março de 2020

COVID 19, como surgiu o Vírus?


A Sars, Síndrome Respiratória Aguda Grave, assolou a China no início dos anos 2000 mas foi contida, ela também é provocada por um coronavírus, o SARS-CoV-1. E é um “parente” dele que causa a Covid-19, batizado de SARS-CoV-2.

Vírus são pacotinhos de genes — nem dá pra chamar de “ser” ou “micro-organismo” porque eles dependem de uma célula viva para se replicar e sobreviver — que estão em evolução contínua. 
Tudo para se adaptar melhor ao(s) hospedeiro(s) e se perpetuar.

Nessa corrida pelo sucesso, eles sofrem mutações que ajudam e outras que atrapalham sua propagação, e mesmo o pulo para as demais espécies animais.

E de onde vem a praga atual?

Tudo leva a crer: morcegos.

É provável que o contato silvestre tenha sido o principal vetor de transmissão.

Nessas situações, as pessoas têm contato com saliva e fezes dos morcegos. Essa tese teria mais sustento que a de que tudo começou com alguém que degustou sopa de morcego.

No entanto, a caça desses animais e a introdução deles em mercados pode ter dado sua pitada de contribuição.

Na história natural da passagem para o corpo humano, ainda se suspeita que o vírus da Covid-19 possa ter feito um pit stop evolutivo num mamífero chamado pangolim.

O certo, porém, é que a coisa veio de morcegos. E lá na China.

Para aqueles que curtem teorias da conspiração: a história de que o SARS-CoV-2 teria sido fabricado em laboratório não tem respaldo algum da ciência.

Inclusive, pesquisas preliminares indicam que, pela análise genômica do vírus, há um padrão de mutações aleatório que o tornou mais infeccioso para nossa espécie. Não é tecnologia. É seleção natural!

Com informações de Saúde.abril

domingo, 22 de março de 2020

Aumentando as Defesas do Organismo - COVID 19



Descubra como a goiaba reforça as defesas de seu organismo e traz muito mais saúde para o seu dia-a-dia.


Goiaba reforça as defesas de seu organismo


Com um aroma inconfundível, a goiaba reúne três qualidades que a colocam entre as frutas tropicais ideais para garantir a saúde do organismo: baixo teor calórico,poder antioxidante boa quantidade de fibras solúveis.

Uma força na dieta Quem está acima do peso já pode comemorar. A goiaba é mais uma aliada na luta contra a balança. Em 100g  do tipo vermelho da fruta há apenas 54 calorias, uma opção para os lanches entre as refeições principais ao longo do dia.
Mas os benefícios não param por aí. As fibras, em boa quantidade na casca polpa da fruta, ainda garantem a sensação de saciedade, ou seja, ao consumi-la você não sentir a fome bater tão cedo.
A cor da saúde “O principal composto funcional presente na goiaba é o licopeno, que confere a cor vermelha à fruta. Ele é um poderoso antioxidante, que mantém a juventude das células e previne contra o surgimento de câncer”, esclarece a nutricionista Elizabete Elvira De Paola, da Vital Nutri.
licopeno ganha um reforço com a grande quantidade de vitamina C da fruta, também um poderoso antioxidante, que da mesma forma age contra os radicais livres. Quem ganha é o organismo, uma vez que fica protegido do envelhecimento celular e outras mutações que podem desencadear o câncer, por exemplo, entre outras doenças.
De bem com o intestino, as fibras presentes na casca e polpa da fruta, aliadas ao consumo regular e abundante de líquidos (o ideal é consumir até 2 litros de água por dia) aumentam o bolo fecal e reduzem a prisão de ventre.
“Por ser rica em fibras, ela ajuda no funcionamento do intestino. Sem falar que alguns estudos mostram que médicos a indicam como antibiótico a crianças, para combater as bactérias que estão no seu intestino, conferindo, assim, seu poder bactericida”, ressalta Elizabete De Paola.
Outros benefícios A goiaba ainda se apresenta como fonte de vitamina A, que garante a saúde dos olhos aumenta a imunidadevitaminas do complexo B, principalmente a niacina, que previne as dores de cabeça de enxaqueca,indigestãodiarréia, entre outros problemas; e a vitamina C. “Por ser rica em vitamina C, a goiaba é uma forte arma na proteção contra infecçõesprocessos alérgicos fadiga”, esclarece a nutricionista Andréia Gomes.
A fruta também apresenta um mineral bastante importante em sua composição, o potássio, que participa das contrações muscularesequilibra a quantidade de líquidos  no corpo e regula a pressão arterial.
Cada 100g da fruta contém:VERMELHA OU BRANCA?
Calorias 54kcal Apesar de concentrar os mesmo nutrientes, alguns deles em quantidades superiores, como é o caso do mineral potássio (220mg em 100g da fruta), o tipo branco não contém o licopeno, substância aclamada por seu poder antioxidante, ou seja a capacidade de combater os radicais livres. A dica é variar entre os dois tipos, para não deixar de aproveitar os benefícios de nenhuma das especialidades.
Na hora da compra, para não se confundir, preste atenção na coloração da casca da goiaba. Se tiver um verde bastante claro, é o tipo branco; já com a cor verde mais viva caracteriza a vermelha.
Carboidrato13g
Proteína1,1g
Fibra Alimentar6,2g
Lipídeos0,4mg
Fósforo15mg
Potássio198g
Manganês0,09mg
Ferro0,2mg
Zinco0,1mg
Vitamina B60,03mg
Fonte: UNICAMP – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos / TACO
 Fonte: Editora Alto Astral. O poder das frutas, v.1, n.1, 2009. 

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Farinha de Maracujá - Aprenda Fazer




A farinha de maracujá é uma excelente fonte de fibras, colabora para o processo de emagrecimento e atua no controle dos níveis de açúcar no sangue. 

O consumo de somente duas colheres de farinha de maracujá já é suficiente para obter os principais benefícios do alimento.

Duas colheres de farinha de maracujá já são suficientes para fornecer 74% das necessidades diárias de fibra alimentar - são 18 g do nutriente em uma porção de 30 g da farinha. A mesma porção fornece ainda 1,8 g de proteínas, 0,7 g de gorduras e 6,4 g de carboidratos.


Principais Benefícios da Farinha de Maracujá


- Melhora o funcionamento do sistema digestivo;

- Auxilia no emagrecimento;

- Redução da glicemia e das taxas de colesterol.


Você pode fazer a farinha em casa. Saiba como fazer aqui:

- Ingredientes:

5 cascas de maracujá.

- Modo de Preparo:

Higienize a casca dos maracujás;

Leve as cascas para assar em forno brando. Deixe até que que estejam secas e quebradiças. Desligue o forno e deixe esfriar;

Bata as cascas secas no liquidificador ou processador, até que se transformem numa farinha homogênea;

Guarde a farinha em um recipiente seco e bem vedado.

- Modo de  Usar;

Você pode tomá-la em jejum com um pouco de água para manter a saciedade por mais tempo, você pode também acrescentar a farinha ao seu suco verde (para auxiliar na desintoxicação do organismo), sobre a salada de frutas, na tapioca, ao iogurte, ou mesmo utilizá-la para enriquecer pães, bolos e tortas.

Uma colher de farinha de maracujá uma hora antes de cada refeição (sempre acompanhada de um copo de água mineral) poderá ajudá-lo a controlar o apetite e reduzir a quantidade de alimentos consumidos na próxima refeição. 

Para quem tem dificuldades para dormir à noite, uma colher de farinha de maracujá pode ajudar a relaxar e acalmar a mente, favorecendo a chegada do sono.

Consumir um pouco de farinha de maracujá em momentos de estresse fará com que você se sinta menos propenso a descontar tudo em cima da comida - principalmente dos doces.

Receitas com Farinha da Casca do Maracujá


Algumas receitas leves e saudáveis para aproveitar os benefícios da farinha da casca do maracujá: 

1. Suco Desintoxicante com Farinha de Maracujá 

O suco abaixo é excelente para aqueles dias em que você sente que está precisando desintoxicar o fígado e acelerar a eliminação de toxinas que possam estar atrapalhando sua relação com a balança.

- Ingredientes:

1 maçã verde com casca;
1 colher cheia (10g) de farinha da casca do maracujá;
300 ml de água mineral;
1 folha de couve;
Suco de ½ limão;
Folhas de hortelã a gosto.

- Preparo:

Bata tudo no liquidificador e sirva em seguida;

Como o suco tem função desintoxicante, evite adoçá-lo com açúcar ou adoçante. Em último caso, utilize um pouquinho de mel.

2. Pão integral com Farinha de Maracujá

- Ingredientes:

2 copos de farinha de trigo integral;
½ copo de farinha de centeio;
½ copo de farinha de aveia;
4 colheres de farinha de maracujá;
250 ml de água (o suficiente para dar ponto na massa);
2 colheres de azeite extra-virgem;
3 colheres de sementes de linhaça;
2 ½ colheres (de chá) de fermento biológico seco instantâneo;
2 colheres de açúcar mascavo;
1 colher (de café) de sal.

- Modo de Preparo:

Em um recipiente grande, misture bem todos os ingredientes secos;

Acrescente os demais ingredientes e incorpore até formar uma massa homogênea;

Deixe a massa crescer por 30 minutos;

Modele o pão e deixe crescer novamente por mais 20 minutos;

Leve para assar em forno médio por aproximadamente 45 minutos- ou até que o interior esteja seco.

Postagem em destaque

Ibuprofeno e Covid-19 - Quais os riscos?

Os anti-inflamatórios não hormonais (AINH ou AINES), como o ibuprofeno, são medicamentos que têm em comum a capacidade de controlar a inf...