segunda-feira, 8 de abril de 2019

Sucos medicinais



Sucos Medicinais

Suco de Cenoura - Fonte de Vitamina A

Suco de Cenoura - é uma fonte riquíssima de vitamina A. Estimula o apetite e ajuda a digestão. É eficaz no combate à fadiga e à anemia, e à colite. Tomando-se 1 copo diariamente, embeleza e rejuvenesce, dando à pele um rosado natural. Pode ser tomado sempre e à vontade.



Suco de Espinafre

Suco de Espinafre - é purificador, regenerador e reconstrutor dos intestinos. Tomado diariamente cura a constipação. Também é eficiente no combate à piorreia. NOTA: As pessoas que sofrem de cálculos renais não devem toma-lo. Nunca tome puro e sim em combinação com outros sucos, exemplo, maçã, etc. .


Suco de Repolho

Suco de Repolho ou de Couve - só ou junto com suco de salsão, combate úlceras.

Suco de Pepino

Pepino - é o mais eficiente diurético natural.

Suco de Tomate

Suco de Tomate - Contra a excessiva acidez no organismo, resultante do abuso de amidos e carnes. Não deve, no entanto, ser tomado na refeição onde amidos e açúcares são servidos, pois anulariam sua ação alcalinizante.

Suco de Cebola

Suco de Cebola- é excelente contra nervosismo, insônia e reumatismo. Combate as bactérias do nariz e garganta.

Suco de Alho

Alho - também é excelente purificador do sangue, absorvendo o ácido úrico e combatendo a pressão alta. É benéfico nas doenças dos pulmões e brônquios.

Suco de Salsão

Suco de Salsão e Limão - neutralizam os gases digestivos, se tomados antes da refeição.

Suco de Maça

Suco de Maçã - é um purificador do organismo. É ótimo para os rins e combate a anemia.

Suco de Uva

Suco de Uva - ideal para o coração
.

Suco de Abacaxi

Abacaxi - auxilia a digestão das proteínas. Bom para dor de garganta.

Suco de Laranja

Laranja - é um purificador do organismo e tem uma ação alcalina rápida. Rico em vitaminas A, B e C

Suco de Mamão

Suco de Mamão e Limão - são auxiliadores da digestão, especialmente indicado aos estômagos sensíveis.

Suco de Morango

Suco de Morango e Coco - ameniza as dores de garganta e combate úlceras estomacais e gastrites.

SUCOS PARA USO INTERNO

Fortificantes

1. Suco de Couve

- 4 folhas de couve
- 1 colher (sopa) de sálvia
- 4 colheres (sopa) de salsinha
Modo de Fazer: Passe pela centrífuga ou bata no liquidificador com 1/2 xícara de água.

2. Suco de Alfafa

- 1/2 xícara de alfafa
- 4 cenouras

Proceda como indicado na fórmula acima.

3. Suco de Agrião


- 1/2 xícara de agrião
- 3 folhas de couve

Proceda como indicado na fórmula anterior.

Diuréticos

1. Suco de Acelga


- 1/2 xícara de acelga
- 4 colheres (sopa) de quebra-pedra

Modo de fazer: Passe pela centrífuga ou bata no liquidificador com 1/2 xícara de água.

2. Suco de Pepino


- 1 pepino
- 3 colheres (sopa) de salsa

Modo de fazer: Passe pela centrífuga ou bata no liquidificador com 1/2 xícara de água.

3. Suco de Para de vaca


- 3 folhas de pata-de-vaca
- 3 colheres (sopa) de quebra-pedra
- 2 folhas de alfavaca

Modo de fazer: Passe pela centrífuga ou bata no liquidificador com 1/2 xícara de água.

Depurativos


1. Suco de Dente de Leão


- 2 folhas de dente-de-leão
- 2 colheres (sopa) de tomilho
Modo de fazer:Bata no liquidificador com 1/2 xícara de água.

2. Suco de serralha

- 2 a 3 folhas de serralha
- 4 colheres (sopa) de cebola
- 3 colheres (sopa) de salsa

Modo de fazer: Bata no liquidificador com 1/2 xícara de água, coando a seguir.

Reconstituinte


1. Suco de Rúcula


- 1/2 xícara de rúcula
- 3 cenouras
- 4 colheres (sopa) de salsa

Modo de fazer: Passe pela centrífuga ou bata no liquidificador com 1/2 xícara de água. Coe num coador de inox.

PARA USO EXTERNO:

Cicatrizante

1. Tanchagem

- 4 folhas de tanchagem
- 2 colheres (sopa) de alecrim
Macere bem, em vasilha de vidro, louça ou inox, devidamente esterilizada. Coe e aplique o suco no local do ferimento.

2. Babosa


- 3 colheres (sopa) da mucilagem da babosa
- 1 colher (sopa) de guaçatonga

Proceda como indicado na fórmula anterior. Queimaduras - 3 colheres (sopa) de folhas de aboboreira

Macere as folhas, coe a mucilagem e aplique no local.

Fonte: cantoverde

sábado, 6 de abril de 2019

Efeito colateral dos medicamentos mais vendidos

Todo medicamento pode causar algum efeito colateral, por isso o uso somente pode ser feito com a indicação do médico e orientação farmacêutica. Medicamentos comuns e usuais também podem ser a causa de alguns efeitos indesejáveis.


Veja a seguir alguns exemplos: 

Paracetamol 

O paracetamol, principio ativo do Tylenol, é o remédio mais usado sem receita, tomado normalmente para diminuir a dor, a febre e sintomas da dengue. Em grandes quantidades, dose acima de 4g ao dia, ou seja mais de 5 comprimidos de 750 mg por dia, o paracetamol pode causar danos graves ao fígado. 

Laxantes 

Os laxantes, muito usado sem orientação medica e farmacêutica para perder peso e prevenir a constipação, quando tomados com muita frequência, os laxantes têm o poder de causar dependência. O intestino pode perder sua habilidade para funcionar bem, causando desequilíbrio eletrolítico e hipocalemia. 

Soníferos 

Medicamentos que causam sonolência como dexclorfeniramina e dimenidrinato não necessitam de prescrição, estes contêm anti-histamínicos e podem apresentar o problema oposto: perder sua eficiência com o tempo, o que faz com que as pessoas comecem a tomar mais do que a dose recomendada. Elas não devem ser usadas por mais de duas semanas. Mesmo quando tomadas da maneira correta, podem causar sono diurno, confusão mental e espessamento das secreções do pulmão.

Antiácidos

Para alívio de azia crônica é comum tomar antiácidos para diminuir os efeitos dos ácidos do estômago. Mas eles também podem causar diarreia e constipação, e bloquear a absorção de alguns medicamentos prescritos. As melhores escolhas disponíveis são os bloqueadores de H2 (como ranitidina) e inibidores da bomba de prótons (como omeprazol, pantoprazol e lansoprazol) que impedem a produção de ácidos no estômago. Mas esses medicamentos também são perigosos quando tomados por muito tempo, incluindo quebras de ossos e deficiência de magnésio (que pode causar convulsões) e infecção fúngica no estômago por deixar a acidez estomacal bem menor.

Anti-inflamatórios 

Substâncias anti-inflamatórias não esteroides, como a aspirina, o diclofenaco, o ibuprofeno e o naproxeno, são tomados por muito tempo, também podem causar danos, incluindo úlceras, problemas nos rins ou no fígado e um aumento do risco de ataque cardíaco ou derrame.

Medicamentos de venda livre 

Medicamentos de venda livre normalmente são seguros quando usados de vez em quando e corretamente por adultos saudáveis.

É preciso ter precauções extras, quando o paciente for portador de doenças como: asma, sangramentos ou coágulos, dificuldades respiratórias, diabetes, próstata aumentada, epilepsia, glaucoma, gota, doenças no coração, e problemas psiquiátricos e de tiroide.

Precauções antes de tomar qualquer remédio

Pessoas que têm condições de saúde subjacentes ou que usam um ou mais medicamentos deveriam consultar seus médicos antes de tomar remédios vendidos no balcão da farmácia. No mínimo, pedir informação com farmacêutico. 

Algumas dicas : 

- Pergunte ao farmacêutico, quando for usar mais de um medicamento, se há interação um com o outro 

- Não usar dosagem maior que o prescrito, pois há risco de intoxicação

- Seguir o horário recomendado de uso

- Se estiver tomando antibióticos, tomar nos horários certo, e não interromper o tratamento. 

- Prestar atenção se o medicamento deve ser tomado com comida ou com o estômago vazio

- Não misturar remédios e álcool

-Se tiver qualquer reação alérgica ou problemas, anote a causa para evitar aquela substância no futuro.

Com Informações de Uol

quinta-feira, 28 de março de 2019

Qual a diferença de HDL e LDL



O colesterol por ser um lipídio, não dissolve na água do sangue; por isso, ele é carregado sob a forma de lipoproteínas (lipídios associados a proteínas). Ele é transportado sob duas formas diferentes: o LDL (do inglês low density lipoprotein), e o HDL (high density lipoprotein).

A maior parte do colesterol é transportada no sangue sob a forma de LDL. Parte desse LDL é metabolizada no fígado, outra parte serve para fabricar membranas celulares. No entanto, quando em excesso, o LDL se deposita nas paredes das artérias, causando a aterosclerose. Isso justificaria o nome de "mau colesterol" dado ao LDL.

Já o HDL teria a tendência de retirar o colesterol das artérias, levando-o ao fígado, onde é convertido em bile. Há especialistas que acreditam que o HDL também remove o colesterol das placas ateroscleróticas já existentes, diminuindo a velocidade com que se formam. Taxas maiores de HDL afastariam, dessa forma, os riscos de problemas cardíacos, justificando-se o nome de "bom colesterol".

Uma taxa de colesterol total (LDL + HDL) de 200 mg/100 mL de sangue é considerada desejável. Taxas acima de 240 mg/100 mL de sangue são consideradas altas. No entanto, a proporção entre o LDL e o HDL parece ser fundamental para se avaliar o risco de problemas do coração. Veja a tabela:

HDL

Bom colesterol, mais do que 35 mg/100 mL de sangue - Desejável
Taxa abaixo de 35 mg/100 mL de sangue - Risco maior de doença cardíaca

LDL

Mau colesterol, menos do que 130 mg/100 mL de sangue - Desejável
Até 160 mg/100 mL de sangue - Limite superior
Acima de 160 mg/100 mL de sangue Risco maior de doença cardíaca

Em outras palavras, taxas baixas de HDL e altas de LDL, em conjunto, podem significar maiores chances de doenças do coração. São desejáveis, ao contrário, taxas maiores de HDL e menores de LDL, contanto, evidentemente, que a taxa de colesterol total esteja dentro da normalidade.

quarta-feira, 27 de março de 2019

Ingestão de Açucares aumenta mais o Nível de Fome


O cérebro responde de forma diferente a dois tipos de açúcar. O estudo apresentado no encontro anual do Colégio Americano de Neuropsicofarmacologia sugere que a frutose aumenta a resposta dos circuitos de recompensa do cérebro a estímulos alimentares, o que promove a ingestão de alimentos.

A obesidade é um problema grave de saúde pública, tendo sido considerada pela Organização Mundial de Saúde como a epidemia do século XXI. Acredita-se que na base desta “epidemia” estejam as alterações do estilo de vida e o tipo de dieta adotada no último quarto de século, com um aumento especialmente preocupante do consumo de frutose.

Frutose - Glicose

A frutose é um açúcar simples encontrado na fruta, mas também adicionado a muitos alimentos, como açúcar refinado, sob a forma de xarope de milho rico em frutose. Por outro lado, a glicose, a principal fonte de energia do organismo, produz-se habitualmente através da decomposição de hidratos de carbono complexos.

Comparativamente com a ingestão de frutose, a ingestão de glicose produz pequenos aumentos nos níveis das hormônios da saciedade. Estudos realizados em ratinhos demonstraram que a administração direta de frutose no cérebro provoca uma necessidade de ingestão de alimentos, enquanto a glicose promove a saciedade. Estudos preliminares em humanos também sugeriram que contrariamente à frutose, a glicose reduz a atividade no hipotálamo, um evento que está associado à saciedade metabólica.

Neste estudo, os investigadores da Universidade do Sul da Califórnia, nos EUA, contaram com a participação de 24 indivíduos, entre 16 e 25 anos de idade, que ingeriram bebidas que continham glicose ou frutose. Através da realização de ressonâncias magnéticas funcionais, foram analisadas as respostas cerebrais e a motivação para ingerir alimentos, enquanto os participantes visualizavam imagens de comida.

De acordo com os investigadores, a ingestão de alimentos produz a ativação do núcleo de accumbens, uma parte do circuito de recompensa cerebral, e aumenta o desejo de comer.

O estudo apurou que ativação desta zona cerebral foi maior após a ingestão da bebida que continha frutose, comparativamente com aquela com glicose. A ingestão de frutose também conduziu a níveis mais elevados de fome e de motivação para comer, comparativamente com a glicose.

Segundo os investigadores este tipo de estudo tem implicações importantes para a saúde pública numa sociedade que está inundada por alimentos com elevado teor de açúcar e estímulos para consumir alimentos. Assim, estes resultados sugerem que o consumo de frutose pode promover a ingestão excessiva de alimentos.

Fonte : ALERT Life Sciences Computing, S.A.

domingo, 24 de março de 2019

Variedades de Arroz e Feijão



O arroz e feijão, é uma refeição barata e nutritiva, que reúne muitos carboidratos e todos os aminoácidos essenciais. 

Todos os dias comemos arroz e feijão, que pode ser acompanhado com qualquer tipo de carne, ovo, e uma saladinha. Ou também, fica uma delícia com farinha, purê ou batata frita, enfim: onde tiver um brasileiro, lá estará o famoso arroz e feijão, em sua casa.

Conheça variados tipos de arroz e feijão, que você pode encontrar no mercado:


Feijão Azuki: De sabor levemente adocicado, é a base de pratos da cozinha japonesa.

Feijão Bolinha:
É ligeiramente arredondado, e fica bom em saladas e sopas.

Feijão Branco:
Parecido com o jalo (é mais claro), é o ingrediente principal do cassoulet, prato francês.

Feijão Carioca: Favorito entre os brasileiros, é o mais consumido no dia a dia.

Feijão Fradinho: Miúdo e claro, é o grão que dá consistência ao acarajé baiano.

Feijão Jalo: Bege e graúdo, vai bem em saladas e sopas.

Feijão Jalo roxo: Maior que o comum, também é indicado para sopas e saladas.

Feijão Moyashi:
É ótimo para omeletes, sopas e saladas.

Feijão Preto:
Grão que dá base ao prato tradicional brasileiro, a feijoada.

Feijão Rajado: Graúdo, fica delicioso em sopas e caldos de carne, ou em saladas de folhas.

Feijão Rosinha: Garante um sabor especial a molhos e saladas

Feijão Roxinho: Versátil, pode ser utilizado nas mais diferentes receitas

Feijão Verde:
Também conhecido como feijão de corda, pode ser consumido fresco ou seco

Feijão Vermelho:
De cor intensa, pode ser temperado com alho e cebola, e servido com carne-seca.

Variedades de Arroz

Arroz Grão Curto:
Conhecido como cateto, fica empapado após cozido. É servido sem tempero pelos japoneses.

Arroz Parboilizado:
É pré-cozido, o que lhe dá um sabor diferente. O preparo é rápido.

Arroz Basmati: Cultivado na Índia e no Paquistão, tem grãos longos e finos. Após cozido, fica úmido e solto.

Arroz Vialone Nano:
Da Itália, é muito usado em risotos, pois mantém a forma após o cozimento e fica cremoso.

Arroz Integral:
Precisa de muito líquido, e mais tempo para cozinhar. É rico em fibras e boa fonte de proteínas, minerais e vitaminas.

Arroz Vermelho: A cor vem da película que o envolve. Bom para risotos, bolinhos e com carnes brancas.

Arroz Glutinoso: Chamado também de "motigome" (arroz para moti, um bolinho japonês), é opaco e fica bem úmido após o cozimento.

Arroz Negro:
É rico em fibras e vitaminas. Vai bem com carnes de caça e em sopas.

Arroz Arbóreo:
Seus grãos são arredondados e curtos. Cremoso após cozido, também é um dos preferidos para risotos.

Arroz Carnaroli: Na Itália, seu país de origem, é considerado o melhor dentre todos os usados para risotos.

Arroz Grão Longo:
Conhecido como agulhinha, é o mais usado no Brasil. Fica bem solto, após o cozimento.

Fonte: Gazeta de Beirute

Postagem em destaque

Sucos medicinais

Sucos Medicinais Suco de Cenoura - Fonte de Vitamina A Suco de Cenoura - é uma fonte riquíssima de vitamina A. Estimula o ape...