quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Consumir Óleo de Coco aumenta 15% do Colesterol bom - HDL



O óleo de coco é o óleo vegetal que apresenta a mais alta concentração de ácido láurico, que além de fortalecer o sistema imunológico, ajuda na prevenção de doenças cardíacas.

Os principais benefícios desse óleo são:

- Por ser rico em ácido fenólico, protege o sistema cardiovascular;

- Possui ação termogênica (um acelerador para a perda de peso, aumenta a sensação de saciedade;

- Tem ação antibacteriana e antiviral.

Com tantos benefícios a saúde não é à toa que o uso do óleo de coco está na moda, podendo ser utilizado desde uma sopa no café da manhã ou na salada, nos cozidos e até mesmo para hidratar a pele e cabelo.

O mais interessante deste super alimento é que de acordo com teste realizado pelas professoras Kay-Tee Khaw e Nita Forouhi, ambas da Universidade de Cambridge, o Óleo de coco mesmo possuindo altos níveis de gorduras saturadas (86%), ainda maiores que os da manteiga (51%) ou da banha de porco (39%), o uso na alimentação de óleo de coco não causa aumento nos níveis sanguíneos de LDL(colesterol ruim).

De acordo com o resultado do teste, consumir 50 gramas (três colheres de sopa) de óleo de coco extra-virgem, além de não alterar os níveis de LDL, há um aumento de 15% dos níveis HDL, o colesterol bom.

Adicione o Óleo de coco na alimentação, dica de uso:

Comece com meia colher de sopa. Depois vá aumentando aos poucos até chegar a 2 ou 3 colheres diárias. Mas cuidado com o consumo excessivo, pois pode causar diarreia.

O óleo de coco é estável quando submetido a altas temperaturas. Mas para preservar suas propriedades nutricionais, é melhor consumi-lo em preparações frias, como em saladas, sucos, shakes, torradas e até na tapioca.


Texto na integra em BBC.


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Ômega 3 - EPA e DHA: para que serve esses ácidos graxos?


O ômega 3 é um dos suplementos mais vendido nas farmácias do Brasil e a maioria dos consumidores não sabem a diferença de EPA (ácidos eicosapenta­enoico) e DHA (docosahexaenoico) e quais benefícios estes ácidos graxos trazem para saúde. Por isso é preciso estar informado e prestar atenção nos rótulos para adquirir um suplemento de qualidade e que possa trazer resultado no tratamento e prevenção das doenças.

O ômega 3 é um conjunto de gorduras formado por EPA e o DHA e são do tipo ácidos graxos poli-insaturados. São encontrados em maior quantidade em alimentos como peixes, frutos do mar e óleo de peixe. Também são vendidos como suplementos nutracêuticos nas farmácias.  


O DHA e EPA são boas fontes de gorduras que trazem diversos benefícios à saúde. Como não produzidos nem o EPA nem o DHA, é necessário consumi-los através da alimentação ou verificar a necessidade de suplementação.

Ação do DHA e EPA no Organismo

O EPA tem ação anti-inflamatória, atua na produção de substâncias anti-inflamatórias chamadas chamadas de prosta­glandinas E3. Seus principais benefícios estão relacionados à saúde cardiovascular e problemas circulatórios e também pode impedir que as plaquetas se unam formando trombos (coágulos) que podem causar trombose e derrame cerebral (AVC). Além disso, o EPA pode ser usado por pessoas que apresentam sintomas ou doenças de caráter inflamatório, como celulite, obesidade e artrite reumatoide.

Já o DHA por ser composto de gordura é um ótimo alimento para o cérebro. Dentre seus benefícios, o que se destaca está relacionado à melhora dos processos cognitivos, como o funcionamento da memória e o correto funcionamento dos neurônios, atuando de forma neuro protetora.

O DHA contém propriedade antioxidante e está envolvido com diversos processos cognitivos, além da correta sinalização entre os neurônios. Há estudos que afirmam que o DHA pode impedir a formação de substâncias deletérias para o cérebro e aumentar a produção de substâncias anti-inflamatórias e neuro protetoras, tendo efeito protetor contra doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson. O DHA também tem papel importante no desenvolvimento fetal, além de fazer parte da retina dos olhos.

Qual a melhor opção: EPA + DHA ou somente DHA?

Para a saúde em geral, recomenda-se uma suplementação que contenha 3 partes de EPA para cada 2 partes de DHA, por exemplo, para cada 300mg de EPA, 200mg de DHA. Tal proporção reproduz a quantidade de EPA e DHA encontrada naturalmente nos peixes oleosos de águas frias e profundas.

No entanto, dependendo do objetivo, suas proporções podem variar. Quando há a necessidade de uma ação anti-inflama­tória geral potencializada, o recomendado é uma maior proporção de EPA, e, quando se deseja ação mais direcionada ao cérebro e aos olhos, maiores quantidades de DHA são recomendadas. Por exemplo:

- Para prevenção e tratamento de reumatismo e inflamações e dores no corpo; melhor escolher o suplemento com maior quantidade de EPA.

- Para prevenção de Alzheimer e perca de memória escolher o suplemento de ômega 3 com maior quantidade de DHA.

- Para gestante, a melhor suplementação é com ômega 3 com maior quantidade de DHA para o desenvolvimento fetal.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Temperos Naturais que promovem uma boa saúde


O sal é um dos vilões da atualidade e tem causado sérios problemas de saúde, dentre eles a pressão alta - hipertensão - e danos renais. É difícil combater este problema, isso porque desde sempre nós nos acostumamos a comer tudo temperado com o sal de cozinha.

O que torna o sal um grande vilão é que ele é a principal fonte de sódio que consumimos, podendo causar aumento da pressão arterial levando a problemas mais sérios de saúde, como a hipertensão e sobrecarregar os rins.

Uma das formas de manter o sal longe do prato ou pelo menos diminuir as quantidades dele nas receitas pode ser mais fácil do que você imagina. A substituição do mineral por outros temperos naturais dá novo gostinho às preparações e ainda por cima promove uma onda de boa saúde.

Os temperos naturais ou condimentos melhoram o sabor, aroma e aparência dos alimentos preparados, confira abaixo alguns temperos que te ajudam a se manter longe do sal.


Alho e Cebola


O alho contribui para a diminuição da pressão sanguínea e dos níveis de colesterol. Já a cebola inibe a ação de algumas bactérias e fungos prejudiciais ao nosso organismo e diminui os riscos de trombose e aterosclerose. Estes temperos também ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer, como o de pulmão, estômago, próstata e fígado.

Sálvia



A Sálvia é uma erva usada como condimento e como planta medicinal por sua ação anti-inflamatória e por ser estimulante da digestão. É indicada nos casos de falta de apetite, edema, afecções da boca, afta, tosse e bronquite. A sálvia pode ser usada tanto em pó como as folhas inteiras e fica ótima com massas e aves.

Manjericão





O Manjericão além de muito gostoso, é amigo do sistema cardiovascular e acalma os espasmos da digestão. Quando utilizado em grandes quantidades, é um ótimo fortificante e antigripal.

Alecrim




O Alecrim é uma planta que confere um gostinho leve e especial quando usada na preparação de carnes vermelhas ou peixes. No arroz e em sopas é uma boa pedida também, perfumando o prato e a cozinha. O alecrim combate o vírus da gripe e previne doenças dos rins, da retina e da catarata.

Salsa




A salsinha seja ela desidratada ou em folhas frescas, confere aos pratos um sabor leve e agradável, além é claro, de também ser uma aliada do nosso organismo, pois a salsa combate doenças do coração e dos rins.

Pimentas




A pimenta é muito mais do que um sabor afrodisíaco. O sabor ardido é por causa da capsaicina, substância antioxidante de ação curativa. Além de prevenir alguns tipos de câncer e de reduzir o colesterol ruim (LDL) do sangue, a pimenta também acelera o metabolismo e, por isso, auxilia no emagrecimento.

Coentro




As folhas e as sementes do coentro são ricas em ferro e vitamina C, alivia indigestão e tem poder calmante.

Estragão




As folhinhas do estragão são parecidas com erva-doce. Experimentar estragão vai garantir um sabor novo, levemente adocicado, à comida, além de aliviar a cólica menstrual e auxiliar na digestão.

Hortelã e Menta




Estas duas plantinhas são na verdade parte de um mesmo gênero, a Mentha. Os sabores são muito parecidos e, por isso, ambos caem muito bem como complemento de peixes, carnes e molhos. Além de refrescantes, essas plantinhas são ótimas para a digestão e proporcionam alívio para crises de bronquite, cólica estomacal e intestinal, dores, gripes e tosses.

Louro




Caldinhos de feijão, sopa de legumes e carnes recheadas ficam com um sabor todo especial quando acrescentamos duas ou três folhinhas de louro. Além de perfumar, os chás das folhas de louro proporcionam alívio contra gases.

Orégano




As folhas de orégano fresco dão ainda mais aroma ao prato e por ter propriedades antioxidante ajuda a prevenir o câncer.

Tomilho




Esta erva é muito versátil porque pode ser usada em praticamente tudo na cozinha. Sem contar que é bom para aliviar distúrbios intestinais e prevenir inflamações. Além de muito saborosa, a plantinha é também muito bonita com suas folhas verdes em formato de coração e pequenas florzinhas.

Açafrão




Além de proporcionar um sabor agradável, deixa o prato mais colorido, com tom amarelado. Muito usado na culinária Mediterrânea, o condimento tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatória que melhoram a digestão.

Gengibre




Muito usado pelos japoneses, o gengibre com seu sabor picante e adocicado, pode ser usado tanto em doces como salgados, além de ser bom acompanhamento para sucos e sopas. O gengibre tem propriedades que combatem a dor de cabeça, o enjoo e as náuseas. Por ser também um alimento termogênico, o gengibre aumenta a temperatura do corpo, obrigando o organismo a gastar mais energia.


terça-feira, 28 de novembro de 2017

Chá de Hibisco - Emagrecedor





O chá de hibisco é feito das flores e botões do Hibiscus sabdariffa, espécie diferente daquela ornamental, comum nos jardins.

O chá não é amargo e tem sabor suave de framboesa - dá até para sentir aquele azedinho da fruta -, além de proporcionar vários efeitos positivos no organismo:


- Estimula a queima de gordura corporal;

- Facilita a digestão;

- Regulariza o intestino;

- Combate a retenção de líquido. Ou seja, é um aliado e tanto na perda de peso.

O que dá esse poder ao hibisco?

A alta concentração de antocianina - pigmento da família dos flavonoides -, que tem ação antioxidante (tira boa parte dos radicais livres de cena) e anti-inflamatória (combate a inflamação das células, permitindo que elas voltem a exercer totalmente suas funções).

Com o uso deste poderoso antioxidante o organismo deixa de acumular toxinas - substâncias inimigas que dificultam o emagrecimento.

Substâncias (enzimas e mucilagens) presentes na planta agem em áreas diferentes:


- No estômago facilitam a digestão;

- No intestino impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; 

- Nos rins anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos.

O hibisco tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso, segundo estudos recentes.


Fonte: Boaforma

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Alimentos que Ajudam a Controlar a Vontade de Comer



Diminuir o apetite é um dos desafios para quem está acima do peso e uma das formas de controlar a vontade de comer é utilizar na alimentação frutas, proteínas e fibras, estes alimentos ajudam a controlar as crises de gula.

Além de controlar a fome, praticar uma dieta com alimentos ricos em fibras e ingestão adequada de líquidos a sua saúde terá uma melhora significativa com diminuição de colesterol, controle da glicose e regulação intestinal.


Principais alimentos que controlam a vontade de comer


- Vitamina C – algumas propriedades dos alimentos ricos em vitamina C ajudam a diluir a gordura, fazendo com que o organismo elimine com mais facilidade. A pectina, também presente nos alimentos que contêm vitamina C, é uma fibra que faz com que o açúcar seja absorvido mais lentamente, o que impede que ele se transforme em gordura. A pectina está presente na maçã, pera, pêssego e frutas cítricas.

- Fibras solúveis – Presente na aveia, feijão, maçãs, frutas cítricas, ervilhas, legumes, elas incham com a água e aumentam o bolo alimentar, fazendo com que o organismo fique ocupado fazendo a digestão, deixando a pessoa com sensação de saciedade mais tempo.

- Carnes – Por ser fonte de vitamina B12, elas ajudam a queimar gorduras.

- Pimenta-vermelha – Contem capsaicina, que é termogênica e aumenta a produção dos hormônios que diminuem o apetite e, consequentemente, a quantidade de alimento ingerida numa refeição.

- Alicina – o composto que dá o aroma ao alho dificulta o ganho do peso.

- Comer cenoura e beber água antes das refeições – a cenoura reduz o apetite e a água, além de também reduzir o apetite, acelera o metabolismo.

- Linhaça – contém fibras solúveis e ácidos graxos, que ajudam a manter a energia e saciedade.

- Salada – o nutrólogo recomenda que se comece uma refeição com uma salada. “O cérebro leva cerca de 20 minutos para receber sinais do estômago dizendo que está cheio”

- Amêndoas - elas contêm antioxidantes, magnésio e vitamina E, e aumentam a sensação de saciedade.

- Café – ele ajuda o metabolismo a acelerar e controla a fome, se consumido com moderação. Esse efeito se dá por conta da cafeína e dos antioxidantes. O café deve ser consumido puro.

- Gengibre – além de ser termogênico, o gengibre melhora a digestão e reduz a fome.

- Abacate – a gordura do abacate manda sinais de saciedade ao cérebro, fazendo com que a pessoa perca o apetite mais rápido.

- Maçã – excelente controladora da gula. A maçã é capaz disso por conter fibras, pectina, aumentar os níveis de energia, pois pela mastigação o cérebro entende que a pessoa está comendo e envia sinais de que está saciado.

- Batata-doce – a batata-doce tem algumas substâncias que são resistentes às enzimas digestivas, portanto a digestão é mais lenta, o que confere saciedade por mais tempo.

- Tofu – o queijo popular na cozinha oriental é fonte de isoflavonas e proteínas, que reduzem o apetite.

- Aveia – a aveia é rica em carboidratos, mas mesmo assim demora pra ser digerida – mantendo a saciedade. Ela também tem o poder de suprimir o hormônio grelina, responsável pela fome.

- Canela – a canela ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue, além de aumentar o metabolismo.

- Leite desnatado – para as mulheres que sofrem de TPM, o leite desnatado é um aliado, pois reduz a vontade de comer doces e carboidratos.


Fonte: Saúde - iG
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...