segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Couve-flor - Alimento Antioxidante que reduz o risco de Câncer


A couve-flor é uma hortaliça do tipo inflorescência, originária da região do Mediterrâneo pertence à espécie Brassica oleracea, assim como o repolho, os brócolos, o romanesco, tem textura delicada e tenra, exige cuidado e atenção na sua preparação

A Couve-flor está entre os 20 melhores alimentos da lista do índice ANDI (Índice Agregado de Densidade Nutriente) que mostra a densidade de nutrientes de um alimento dentro de uma escala de 1 a 1.000 com base em quantos nutrientes contém por grama.


Principais Benefícios da Couve-flor para Saúde



1-Couve-flor contra câncer

A Couve-flor contém antioxidantes que ajudam a prevenir mutações celulares e reduzem o estresse oxidativo dos radicais livres. Os vegetais crucíferos, como repolhos, brócolis e couve-flor, têm demonstrado reduzir o risco de câncer de mama e sistemas reprodutivos em homens e mulheres . Vários estudos descobriram que o sulforafano, um composto desse tipo de vegetais, é responsável por esse poder benéfico para combater o câncer.

2-Couve-flor para digestão

A couve-flor tem um alto teor de fibra e água , o que ajuda a evitar constipação e mantém nosso sistema digestivo saudável e, portanto, reduz o risco de câncer de cólon. E é que qualquer fibra natural promove a regularidade, o que é muito importante para excretar toxinas todos os dias através da bile e fezes. De acordo com o Departamento de Medicina Interna e Nutricional do Programa de Ciências da Universidade de Kentucky (EUA), o alto consumo de fibras está associado a um menor risco de desenvolver doença cardíaca coronária, acidente vascular cerebral, hipertensão, diabetes ou obesidade.

3-Couve-flor para memória

Outra das qualidades da couve-flor é ser uma fonte de colina , um nutriente essencial solúvel em água que nos ajuda no movimento muscular, no sono, na aprendizagem e na memória. A colina também ajuda a manter a estrutura das membranas celulares, a transmissão de impulsos nervosos e a absorção de gordura corporal.

4-Couve-flor para os ossos


Vários estudos descobriram que o consumo adequado de vitamina K presente na couve-flor melhora a saúde dos ossos , reduzindo o risco de fratura óssea e osteoporose. Isso acontece porque os componentes essenciais da couve-flor melhoram a absorção de cálcio e reduzem a excreção urinária deste mediador intracelular.

5-Benefícios gerais da couve-flor


Consumir frutas e vegetais de todos os tipos tem sido associado a um menor risco de muitas condições adversas de saúde. Muitos estudos sugerem que o aumento do consumo de alimentos vegetais, como a couve-flor, diminui o risco de obesidade, diabetes, doença cardíaca e mortalidade geral ; Também promove um tez saudável, um aumento de energia e ajuda a controlar o peso.


Receita de couve-flor gratinada low carb


Ingredientes:

- 1 couve-flor média;
- sal a gosto;
- 2 colheres de sopa de requeijão light cremoso;
- 3 colheres de sopa de queijo parmesão ralado;
- salsa picada a gosto.

Modo de preparo:

- Aqueça o forno a 200ºC. 


- Lave a couve-flor e deixe de molho em água com vinagre por 10 minutos. 

- Lave novamente e cozinhe em uma panela com água e sal até ficar macia. 

- Escorra e espere esfriar. Em uma assadeira coloque a couve-flor, espalhe o requeijão cremoso, salpique o queijo parmesão ralado e leve ao forno até gratinar, por cerca de 15 minutos. 

- Retire do forno, salpique a salsa e sirva.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Chás que atrapalham o efeito dos Medicamentos



A automedicação está cada vez mais presente no dia-a-dia do brasileiro e a maioria das informações fornecidas é de leigos na área da saúde que levam a prática indiscriminada de qualquer produto como medicamentos e plantas medicinais.

A utilização de chás é cultural no Brasil, tomam chá para tudo, desde um resfriado até pressão alta. Porém utilizar plantas medicinais sem o devido conhecimento pode causar uma série de problemas para saúde como intoxicação e até câncer.

Muitas plantas medicinais podem conter além dos princípios ativos benéficos ao organismo, substancias tóxicas. A falta de conhecimento às condições de cultivo da planta, a correta identificação, o modo de usar e os efeitos adversos é o suficiente para levar a um quadro de intoxicação.

Veja alguns exemplos de plantas que ingeridas com medicamentos tem efeito tóxico


Alcachofra

A alcachofra é muito utilizada para melhorar a digestão e diminuir o colesterol. Mas quando utilizada com diuréticos (furosemida, clortalidona, hidroclorotiazida, indapamida) pode causar pressão baixa, perca de potássio e diminuir o volume sanguíneo.

Alho

O alho é utilizado no tratamento de colesterol alto e pressão alta. Quando utilizado com anticoagulantes como a varfarina causa sangramento. Para quem usa insulina e glipizida, se utilizar com alho pode levar a baixa de glicose no sangue causando hipoglicemia. O alho também não pode ser utilizado por pacientes que tomam medicamentos para tireóide, uma vez que suplementos contendo alho podem afetar a tireóide.

Boldo

O boldo é muito usado para melhorar a digestão, porém a boldina presente no boldo pode causar inibição plaquetária e sangramentos, por isso não deve ser utilizado com anticoagulantes.

Camomila

Planta muito utilizada para aliviar cólicas, inflamações, má digestão e insônia, mas se consumida com varfarina aumenta o risco de sangramento. Com fenobarbital e sedativos pode aumentar a ação depressora do sistema nervoso central. O chá de camomila se utilizado constantemente pode causar anemia, pois reduz a absorção de ferro ingerido através dos alimentos ou medicamentos.

Cáscara Sagrada

A cáscara sangrada é utilizada para melhorar a prisão de ventre. Usar com hidroclorotiazida ocasiona a perca de potássio, desidratação, diarréia e aumento da pressão sanguínea.

Castanha da Índia

Planta muito usada no tratamento de varizes, dores nas pernas e hemorroidas. Deve ser usado com cautela, pois pode causar sangramentos se utilizada com AAS, varfarina, heparina, clopidogrel e anti-inflamatórios como ibuprofeno e naproxeno. 


Quem utilizada insulina e medicamentos para diabetes deve ter cuidado, pois a castanha da índia pode aumentar o efeito destes medicamentos. A castanha da índia altera o efeito de medicamentos como omeprazol, podendo irritar o estômago. Evite o uso com sene, pois aumenta o efeito laxativo.

Cimicífuga

Muito utilizada no tratamento da menopausa, a cimicífuga pode desencadear interação com estrógenos e contraceptivos orais suprimindo a secreção de LH. Esta planta também pode aumentar o efeito dos anti-hipertensivos causando pressão baixa.

Equinácea

Planta muito utilizada no tratamento de resfriados e infecções urinárias, a equinácea se usada por mais de 2 meses pode causar danos no fígado. Não deve ser utilizado juntamente com anabolizantes, metotrexato, cetoconazol e amiodarona, pois ocasionar intoxicação no fígado.

Erva-cidreira

A erva-cidreira é muito conhecida como calmante, sedativo e antiespasmódico, porém deve ter cuidado se utilizada com antidepressivos e medicamentos para tireóide como a levotiroxina.

Erva de São João

Utilizada no tratamento de depressão, a erva de são joão pode diminuir a absorção de ferro, diminuir o efeito dos anticoncepcionais e ocasionar sangramentos.

Interage com omeprazol, lansoprazol e piroxicam aumentando a fotossensibilidade. Drogas que a Erva de São João aumenta o efeito potencializando as reações adversas são: omeprazol, cafeína, carbamazepina, midazolam, sinvastatina, amitriptilina, varfarina.

Erva-doce

Muito utilizada para combater cólicas abdominais, a erva-doce se utilizada com clonazepam, nitrazepam ou outras drogas hipnóticas poderá prolongar o efeito sedativo.

Eucalipto

O eucalipto tem efeito anti-séptico e expectorante, mas se utilizado junto com outros medicamentos pode diminuir a ação. Se utilizada com clonazapem, fenobarbital e álcool altera o raciocino e o sistema nervoso. Em pacientes diabéticos pode causar diminuição da glicose no sangue.

Gengibre

Usado para combater gripes, resfriados e náuseas, o gengibre estimula a produção de ácido clorídrico estomacal diminuindo o efeito de alguns medicamentos como ranitidina e lansoprazol. Se o gengibre for ingerido com AAS, varfarina, clopidogrel, ibuprofeno e naproxeno pode aumentar o risco de sangramento. Também pode atrapalhar o efeito de medicamentos como propranolol, atenolol, metropolol.

Ginkgo biloba

O Ginkgo biloba é um dos fitoterápicos mais utilizados no tratamento de vertigens, zumbidos e circulação. Porém se usado com AAS, clopidogrel, varfarina e antiinflamatórios como naproxeno e ibuprofeno pode aumentar o risco de sangramento. 

O Ginkgo biloba também pode interagir com alho, vitamina E. Se usado com fenitoína pode causar dor de cabeça, tremores e surtos. O uso com sertralina pode desencadear aumento dos batimentos cardíacos e agitação.

Doses elevadas de Ginkgo biloba pode reduzir a fertilidade em homens e mulheres.

Ginseng

O Ginseng é muito utilizado no combate a fadiga física e mental. Se utilizado com varfarina, clopidogrel , AAS, ibuprofeno e naproxeno aumenta o risco de sangramento. Em diabéticos o ginseng diminui a glicose no sangue causando hipoglicemia. 

Outro efeito colateral do ginseng é desencadear efeitos estrogênicos causando sensibilidade nas mamas, alterar o período da menstruação, sangramentos vaginais, em homens pode aumentar o tamanho das mamas e diminuir a ereção.

O ginseng não deve ser usado se estiver tomando antidepressivo pois pode causar tremores, dor de cabeça e insônia. Para hipertensos o uso do ginseng não é recomendado pois altera a pressão sanguínea e diminui o efeito de medicamentos como nifedipino, anlodipino, atenolol, metropolol.

Guaco

O guaco tem efeito expectorante e broncodilatador. Esta planta já tem efeito benéfico se utilizado com antibióticos.

Guaraná


Muito utilizado como estimulante, o guaraná aumenta o efeito de analgésicos e se for utilizado com anticoagulantes pode causar sangramentos.

Hortelã

A hortelã muito usado como expectorante, pode diminuir a absorção de ferro, aumenta o efeito da sinvastatina, camomila, alcaçuz, equinácea e vários medicamentos por alterar o sistema enzimático hepático citocromo p450.

Kava-kava

O kava-kava é indicado para tratar ansiedade, insônia e tensão nervosa. Porém o Kava-kava tem alta toxicidade hepática, não sendo recomendado o uso por mais de 3 meses. Se utilizada com amiodarona, metotrexato, paracetamol e antifúngicos como o cetoconazol pode causar sérios danos no fígado.

O uso de Kava-kava com álcool, fenobarbital, clonazepam, bromazepam pode potencializar o efeito destes medicamentos

Maracujá

Um dos calmantes mais utilizados hoje em dia, tem como principio ativo a passiflora. O maracujá pode aumentar o efeito de hipnóticos e ansiolíticos como alprazolam. O uso do maracujá com álcool, lorazepam, diazepam, fenobarbital, codeína e antidepressivos aumenta a intensidade da sonolência.

Outro problema é o uso do maracujá junto com AAS, varfarina, nimesulida, ibuprofeno e naproxeno, pois pode causar sangramento.

Salgueiro

O salgueiro, Salix Alba é um antiinflamatório e analgésico, porém o uso com paracetamol e AAS não é recomendado, pois pode causar danos nos rins.

Sene

Um dos laxantes mais utilizados, o uso de sene pode atrapalhar a absorção de medicamentos por aumentar o transito intestinal, um exemplo é os anticoncepcionais que tem eficacia diminuída, podendo levar a uma gravidez indesejada. Outro problema é a perca de potássio causado pelo uso de sene que é piorado se utilizado com diuréticos como furosemida e hidroclorotiazida, que pode levar hipocalemia.

Saw palmeto

Usado no tratamento da próstata, o Saw palmeto não deve ser utilizado com finasterida, pois afeta os hormônios sexuais masculinos. Também pode aumentar o risco de sangramento se utilizado com AAS, varfarina e antiinflamatórios.

Tanaceto


Usado para tratar a enxaqueca, o Tanaceto apresenta atividade anticoagulante e se usado com AAS, varfarina , clopidogrel e antiinflamatórios pode aumentar o risco de sangramento.

Uva-ursi

Utilizado no tratamento de infecção urinária, a uva-ursi não pode ser consumida com alimentos e medicamentos que acidificam a urina.

Valeriana


A Valeriana é um planta muito utilizada no tratamento da insônia, tem efeito calmante e sedativo. Porém deve ter precaução se utilizada com clonazepam, bromazepam, alprazolam, fenobarbital, antidepressivos, álcool e anestésicos, pois aumenta o tempo de sedação. E com medicamentos que utiliza o metabolismo hepático, a valeriana pode interagir atrapalhando a ação destes medicamentos.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Chá de Losna - Digestivo



A losna é uma erva medicinal, cientificamente, ela é chamada de Artemisia absinthium, mas esse sonoro e complicado nome não atrapalha a popularidade da losna. Conhecida e apreciada por suas qualidades terapêuticas, a erva é tida como a grande protetora do aparelho digestivo.

Apesar do sabor amargo, muita gente tem o hábito de mastigar folhas verdes de losna. De fato, o sumo das folhas tem um efeito tônico sobre todo o organismo, revigorando o aparelho digestivo. 


O chá feito com galhos floridos de losna também tonifica o estômago, normaliza o funcionamento do intestino e é um bom remédio para verminose, se tomado em jejum. Ingerido à noite, funciona muito bem como calmante.

Sua principal característica é o sabor amargo. Dizem que essa característica foi citada num provérbio de Salomão, que teria dito: “A infidelidade, ainda que possa ser excitante e doce no seu início, costuma ter um fim amargo como a losna”.

Propriedades e benefícios da losna

- Auxilia no tratamento de anemias.

- Ativa a circulação sanguínea. 

- Ameniza a azia e dispepsias. 

- Alivia as cólicas intestinais, também limpa e normaliza o funcionamento do estômago.
- Ajuda no tratamento dos rins, bexiga e pulmões.
- Ameniza menstruações difíceis e dolorosas, também regulariza o ciclo menstrual.
- Também é boa para: nevralgias, mau hálito, prisão de ventre, vômitos, repele piolhos, insuficiência hepática, etc.
- Age como estimulante de apetite e da digestão, mostrando-se útil para tratamentos de anorexia e quadros parecidos.

Receita deste chá

O chá de losna é facilmente preparado: adicione 20 gramas de folhas ou flores da planta em 1 litro de água quente, realizando a infusão (deixando descansar por 10 minutos). Tome uma xícara de chá antes de todas as refeições principais para obter seus efeitos (2 xícaras por dia).

Contra indicações e efeitos colaterais


Como todo chá estudado profundamente, o chá de losna possui contraindicações, estas são: gestantes ou mulheres em fase de amamentação não devem tomá-los, nem pessoas que apresentem quadros de gastrite, portanto, é importante sempre estar com as visitas ao médico em dia.

Quanto aos seus efeitos colaterais por altas doses, podemos citar: tremores, convulsões, tonturas e delírios. Se usado com álcool, pode ocasionar em dependência, alucinações e até danos neurológicos irreversíveis/permanentes. 

Evite ultrapassar 2 xícaras ao dia, já que as altas doses são perigosas e evite beber o chá com álcool.

Se for utilizar as folhas, deve-se optar por aquelas que foram retiradas aos primeiros sinais de formação dos órgãos de reprodução; já se for utilizar as flores, devem ser utilizadas as flores colhidas logo após desabrocharem. 

A conservação da losna também é importante, ela deve ser armazenada seca. Para garantir isso, coloque as flores estendidas em um local bem ventilado, deixando-as longe da exposição aos raios solares. Em seguida, coloque e conserve as flores em caixas de madeira.

Fonte : chabeneficios

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Consumir Óleo de Coco aumenta 15% do Colesterol bom - HDL



O óleo de coco é o óleo vegetal que apresenta a mais alta concentração de ácido láurico, que além de fortalecer o sistema imunológico, ajuda na prevenção de doenças cardíacas.

Os principais benefícios desse óleo são:

- Por ser rico em ácido fenólico, protege o sistema cardiovascular;

- Possui ação termogênica (um acelerador para a perda de peso, aumenta a sensação de saciedade;

- Tem ação antibacteriana e antiviral.

Com tantos benefícios a saúde não é à toa que o uso do óleo de coco está na moda, podendo ser utilizado desde uma sopa no café da manhã ou na salada, nos cozidos e até mesmo para hidratar a pele e cabelo.

O mais interessante deste super alimento é que de acordo com teste realizado pelas professoras Kay-Tee Khaw e Nita Forouhi, ambas da Universidade de Cambridge, o Óleo de coco mesmo possuindo altos níveis de gorduras saturadas (86%), ainda maiores que os da manteiga (51%) ou da banha de porco (39%), o uso na alimentação de óleo de coco não causa aumento nos níveis sanguíneos de LDL(colesterol ruim).

De acordo com o resultado do teste, consumir 50 gramas (três colheres de sopa) de óleo de coco extra-virgem, além de não alterar os níveis de LDL, há um aumento de 15% dos níveis HDL, o colesterol bom.

Adicione o Óleo de coco na alimentação, dica de uso:

Comece com meia colher de sopa. Depois vá aumentando aos poucos até chegar a 2 ou 3 colheres diárias. Mas cuidado com o consumo excessivo, pois pode causar diarreia.

O óleo de coco é estável quando submetido a altas temperaturas. Mas para preservar suas propriedades nutricionais, é melhor consumi-lo em preparações frias, como em saladas, sucos, shakes, torradas e até na tapioca.


Texto na integra em BBC.


quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Ômega 3 - EPA e DHA: para que serve esses ácidos graxos?


O ômega 3 é um dos suplementos mais vendido nas farmácias do Brasil e a maioria dos consumidores não sabem a diferença de EPA (ácidos eicosapenta­enoico) e DHA (docosahexaenoico) e quais benefícios estes ácidos graxos trazem para saúde. Por isso é preciso estar informado e prestar atenção nos rótulos para adquirir um suplemento de qualidade e que possa trazer resultado no tratamento e prevenção das doenças.

O ômega 3 é um conjunto de gorduras formado por EPA e o DHA e são do tipo ácidos graxos poli-insaturados. São encontrados em maior quantidade em alimentos como peixes, frutos do mar e óleo de peixe. Também são vendidos como suplementos nutracêuticos nas farmácias.  


O DHA e EPA são boas fontes de gorduras que trazem diversos benefícios à saúde. Como não produzidos nem o EPA nem o DHA, é necessário consumi-los através da alimentação ou verificar a necessidade de suplementação.

Ação do DHA e EPA no Organismo

O EPA tem ação anti-inflamatória, atua na produção de substâncias anti-inflamatórias chamadas chamadas de prosta­glandinas E3. Seus principais benefícios estão relacionados à saúde cardiovascular e problemas circulatórios e também pode impedir que as plaquetas se unam formando trombos (coágulos) que podem causar trombose e derrame cerebral (AVC). Além disso, o EPA pode ser usado por pessoas que apresentam sintomas ou doenças de caráter inflamatório, como celulite, obesidade e artrite reumatoide.

Já o DHA por ser composto de gordura é um ótimo alimento para o cérebro. Dentre seus benefícios, o que se destaca está relacionado à melhora dos processos cognitivos, como o funcionamento da memória e o correto funcionamento dos neurônios, atuando de forma neuro protetora.

O DHA contém propriedade antioxidante e está envolvido com diversos processos cognitivos, além da correta sinalização entre os neurônios. Há estudos que afirmam que o DHA pode impedir a formação de substâncias deletérias para o cérebro e aumentar a produção de substâncias anti-inflamatórias e neuro protetoras, tendo efeito protetor contra doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson. O DHA também tem papel importante no desenvolvimento fetal, além de fazer parte da retina dos olhos.

Qual a melhor opção: EPA + DHA ou somente DHA?

Para a saúde em geral, recomenda-se uma suplementação que contenha 3 partes de EPA para cada 2 partes de DHA, por exemplo, para cada 300mg de EPA, 200mg de DHA. Tal proporção reproduz a quantidade de EPA e DHA encontrada naturalmente nos peixes oleosos de águas frias e profundas.

No entanto, dependendo do objetivo, suas proporções podem variar. Quando há a necessidade de uma ação anti-inflama­tória geral potencializada, o recomendado é uma maior proporção de EPA, e, quando se deseja ação mais direcionada ao cérebro e aos olhos, maiores quantidades de DHA são recomendadas. Por exemplo:

- Para prevenção e tratamento de reumatismo e inflamações e dores no corpo; melhor escolher o suplemento com maior quantidade de EPA.

- Para prevenção de Alzheimer e perca de memória escolher o suplemento de ômega 3 com maior quantidade de DHA.

- Para gestante, a melhor suplementação é com ômega 3 com maior quantidade de DHA para o desenvolvimento fetal.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...