quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Medicamentos que podem Engordar






Corticóides, pílulas anticoncepcionais, antidepressivos, ansiolíticos e algumas substâncias usadas no combate aos sintomas da menopausa são uma das principais drogas que podem facilitar o ganho excessivo de peso.

Muitas pessoas queixam-se de ganhar peso e geralmente isso acontece devido à retenção de líquido, lentidão no metabolismo ou aumento no apetite causado pelos próprios medicamentos. Desta forma é aconselhado ao paciente pedir ao médico a substituição de um medicamento que gere aumento de peso por outro que não tenha esse efeito, sempre que possível.

Controlar mais de perto a dieta e priorizar a realização de atividades físicas são as melhores formas de combater o problema, pois o principal motivo de ganho de peso sempre é o comer mais.


Medicamentos que podem gerar ganho de peso

Antidepressivos tricíclicos


Medicamentos como a amitriptilina e nortriptilina causam aumento de apetite e, por consequência, ganho de peso que pode significar em até 2,5 kg a mais por mês, porém com uma dieta regrada e exercícios físicos regulares o ganho de peso pode ser controlado.

Leia aqui: Quanto tempo demora para que os Antidepressivos faça efeito?

Anti-histamínicos 


Os mais usados são cetirizina ou fexofenadina (allegra), dexclorfeniramina (histamim).

Os anti-histamínicos são componentes de muitas medicações anti-alérgicas. Alguns antidepressivos têm efeito anti-histamínico e podem aumentar a fome.

Medicações anti-psicóticas da classe dos anti-psicóticos atípicos

Olanzapina, quetiapina - usada para esquizofrenia e transtorno bipolar, e risperidona – usada no tratamento do transtorno bipolar, psicose e transtorno obsessivo compulsivo.

Esses medicamentos ocasionam aumento de resistência insulínica podendo levar ao desenvolvimento de diabetes tipo 2, podem provocar algumas alterações em nível celular, alterando o metabolismo da glicose.

Os antipsicóticos (usados no tratamento da esquizofrenia), os antiepiléticos e a cinarizina (indicada para casos de labirintite) também aumentam o apetite. Esses medicamentos interferem na ingestão alimentar, quer por aumentar a fome ou por diminuir a saciedade.

Anti-hipertensivos beta-bloqueadores


Atenolol, metoprolol (selozok), eles aumentam a sensação de fadiga, contribuindo para a inatividade física e redução do gasto energético.

Corticoides

Os corticoides mais conhecidos são dexametasona, betametasona, prednisona, beclometasona.

Esses medicamentos aumentam a retenção hídrica (incham) e geram resistência insulínica (aumentam a glicose no sangue). Além disso, são estimuladores do apetite e podem reduzir a taxa metabólica.

O corticoide estimula o aumento do tecido gorduroso e a redução da massa muscular, mas isto depende diretamente de uma série de fatores como pré-disposição genética e dose do medicamento ingerido.

Com doses altas de corticoide por um tempo prolongado podem causar ganho até 20 quilos em um ano, pois a cortisona piora o funcionamento do hormônio insulina. A sensação é de um descontrole de fome. Isso só acontece quando o uso é crônico, por mais de um mês. Em quem toma esporadicamente, não acontece nada.

Leia aqui: Uso Prolongado de Corticoides pode causar Diabetes e Hipertensão

Medicamentos para o controle do diabetes


As drogas da classe das sulfoniluréias: glibenclamida, glicazida e glimepirida, aumentam os níveis de insulina no sangue, ocasionando aumento de apetite e acúmulo de gordura. O uso de insulina também está associado ao aumento de peso.

Outros medicamentos da classe das glitazonas – pioglitazona e rosiglitazona – geram retenção hídrica e aumentam o processo de diferenciação das células de estoque de gordura.

Estabilizadores de humor

Medicamentos como ácido valpróico e o carbonato de lítio causam aumento de apetite e, portanto, ganho de peso. O carbonato de lítio costumam aumentar muito a fome.

Anticoncepcionais


Anticoncepcionais de dosagens mais altas, (1º geração) são associados ao ganho de peso por retenção hídrica.

Os anticoncepcionais a base de estrógeno levam ao aumento de peso por retenção de líquidos. O estrógeno pode, eventualmente, alterar o metabolismo, deixando a pessoa um pouco menos saciada e com sensação de estômago vazio. Prefira os anticoncepcionais que contêm progesterona.

Leia aqui: Anticoncepcionais - Qual devo Usar?


Dicas

Como vários medicamentos podem causar o ganho de peso é interessante o paciente ao sentir os efeitos indesejados pedir o médico a substituição de um medicamento que gere aumento de peso por outro que não tenha esse efeito, sempre que possível.

Porém se o uso do medicamento for inevitável, o mais importante é controlar a dieta mais de perto e de forma mais rígida e praticar exercício físico, que nesses casos, é fundamental para manter o peso.

Leia aqui: Principais Interações entre Medicamentos

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Café pode ajudar prevenir Diabetes



Sabia que tomar café pode te proteger de adquirir uma das doenças mais comum da atualidade?

É verdade, um estudo realizado por cientistas americanos analisou informações de mais de cem mil pessoas, por aproximadamente 20 anos, e concluiu que quem ingeria regularmente até seis xícaras de café por dia, estava mais protegido contra a diabetes tipo 2.

De acordo com os envolvidos, a principal hipótese desse quadro, é devido aos diversos antioxidantes, juntamente com outros componentes da bebida, que favorecem o controle da glicemia.

O café, 
estimulante mais consumido em todo o mundo, é uma bebida rica em minerais, contém vitamina B, ácidos clorogênicos e Cafeína que é rica em antioxidantes naturais.

O consumo de até 400 mg de cafeína por dia é seguro nos adultos (30 ml de café expresso possui entre 30 e 90 mg de cafeína). Sua principal ação no organismo é aumentar o estado de alerta, estimular a circulação sanguínea e o funcionamento cardíaco, impulsionando o metabolismo e aumentando a disposição para pratica de atividades para queima de gordura.

Os antioxidantes presente na cafeína atuam contra a ação dos radicais livres, moléculas que, ao danificar as nossas células, podem favorecer o aparecimento de algumas doenças cardiovasculares e oncológicas. Além de contribuir para a diminuição do risco de desenvolvimento destas patologias, o consumo moderado de cafeína foi associado a um efeito protetor contra a diabetes tipo 2 e à promoção de um maior gasto calórico.

Dica Saudável


Se você é diabético, mas não resiste a um bom cafezinho, faça como os voluntários desse estudo: coloque um pouco, ou quase nada de açúcar, e aproveite os benefícios dessa deliciosa e reconfortante bebida.


Evite tomar café a noite, pois por ser uma bebida estimulante pode causar insônia.

domingo, 1 de outubro de 2017

Gordura no Fígado - Como Cuidar?





Os sintomas de gordura no fígado, ou esteatose hepática, como é cientificamente chamada, são a perda do apetite e a dor abdominal do lado direito, que vão se instalando aos poucos. Outros sintomas incluem: 

- Barriga inchada;
- Cansaço;
- Dor de cabeça;
- Enjoo;
- Vômito;
- Cor amarelada nos olhos e na pele.

Ao observar esses sintomas, o indivíduo deverá ir ao médico para realizar exames de diagnóstico, como o exame de sangue e a ressonância magnética. Assim, a doença pode ser diagnosticada e devidamente tratada com dieta e exercícios.
Tratamento para gordura no fígado

O tratamento para gordura no fígado consiste em: 

- Seguir a dieta acima recomendada;
- Praticar exercícios físicos com regularidade;
- Não consumir bebidas alcoólicas;
- Não fumar.

Apesar de ser mais comum em obesos e diabéticos, o acúmulo de gordura no fígado pode afetar qualquer um que tenha uma má alimentação e não pratique exercícios físicos regularmente. O acúmulo de gordura no fígado não é uma situação grave, mas, quando não é devidamente tratada, ela pode gerar uma cirrose e, por isso, essa situação merece a devida atenção.

Gordura no fígado tem cura?


A gordura no fígado tem cura, que pode ser alcançada com o tratamento proposto pelo médico e pelo nutricionista. Estima-se que essa cura possa ser alcançada entre 4 a 8 semanas, mas sempre vai depender da quantidade de gordura que o indivíduo tem que perder.

Dieta

Seguir regularmente a dieta para gordura no fígado é uma das melhores e mais saudáveis formas de tratar e eliminar os sintomas de gordura no fígado. Nesta dieta deve-se:

- Evitar ao máximo o consumo de alimentos ricos em gorduras, como pizzas, sanduíches, queijos amarelos e condimentos;
- Eliminar o consumo qualquer bebida alcoólica;
- Dar preferência ao consumo de alimentos saudáveis, como frutas, legumes, verduras, carnes brancas grelhadas;
- Adicionar somente 1 colher de café de azeite na salada, depois de pronta;
- Beber bastante água entre as refeições;
- Comer alimentos ricos em fibras diariamente.

Outras recomendações são: eliminar do regime alimentar queijo amarelo, requeijão, chocolate, biscoito amanteigado, produtos de pastelaria em geral, enchidos e embutidos, como linguiça, salsicha, bacon e mortadela, maionese, manteiga e margarina.

Melhores Alimentos para o Fígado

Os melhores alimentos para o fígado são leite desnatado, mel, arroz, macarrão, carnes magras, ovos, gelatina, queijo branco, vegetais, e frutas.

É importante comer a cada 3 horas, mesmo que não tenha fome. Não ter fome após 3 horas significa que comeu demais na refeição anterior, e isto também precisa de ajuste.

Ao seguir corretamente esta dieta, é possível eliminar boa parte da gordura abdominal e do interior do fígado em, aproximadamente, 2 meses. Mas, para melhores resultados, recomenda-se fazer algum tipo de atividade física com regularidade, isto é, no mínimo, 2 vezes por semana, todas as semanas.


Fonte:  Tuasaude

sábado, 30 de setembro de 2017

Luteína - Nutriente que mantém o cérebro jovem


Ter uma boa memória mesmo na velhice é o sonho de todos, pois quando envelhecemos começamos a esquecer de tudo. Por isso quanto mais cedo começarmos a praticar uma alimentação saudável, menor será a chance de ficarmos esquecidos com o passar do tempo.

De acordo com cientistas da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, existe um nutriente que mantém o cérebro jovem, a Luteína, e ter mais luteína na circulação protege a massa cinzenta desde cedo.

A luteína e zeaxantina são dois tipos de carotenoide bastante associados à saúde ocular, mas um novo estudo descobriu que essas substâncias fazem bem até para a cabeça. Maiores taxas dessas moléculas sobrecarregavam menos o cérebro para se recordar das palavras, isto é, os carotenoides podem estar associados a uma melhor eficiência da massa cinzenta.


Alimentos ricos em Luteína

- Espinafre

- Vegetais verdes-escuros como couve

- Agrião

- Rúcula

- Ovo

- Abacate

Com mais luteína correndo pelo sangue o cérebro mesmo de uma pessoa mais velha, apresenta respostas neurais compatíveis com as de sujeitos mais jovens – e não com gente da mesma idade.

Ao envelhecermos passamos por um declínio natural, por volta dos 30 anos o nosso cérebro já entra em processo de envelhecimento começando a perca de raciocínio mesmo que lentamente. Como a luteína parece ser capaz de prevenir esse comprometimento dos neurônios, é melhor apostar no consumo de alimentos ricos nesse nutriente, principalmente nas primeiras décadas de vida. Não é só o cérebro que sairia ganhando, a substância também se acumula nos olhos, onde atua como antioxidante na retina e nas lentes oculares.

Alimentos ricos em Luteína e a quantidade (em mg) por porção:

- Abóbora: 2,7 mg / 1 xícara

- Acelga: 19 mg /1 xícara

- Alface: 1.5 mg / 1 xícara

- Brócolis (cozida): 3.4 mg / 1 xícara

- Brotos (cozida): 18.1 mg / 1 xícara

- Cenoura: 1,2 mg/ 1 xícara

- Couve (cozida): 33.8 mg / 1 xícara

- Couve (crua): 22.1 mg / 1 xícara

- Couve portuguesa (cozida): 17.2 mg / 1 xícara

- Ervilhas (enlatadas): 2.3 mg / 1 xícara

- Espinafres (cozida): 15 mg / 1 xícara

- Espinafres (frescos, crus): 6.7 mg / 1 xícara

- Feijão verde: 0.76 mg / 1 chávena

- Laranja: 0.49 mg / 2 médias

- Mamão Papaia: 0.45 mg / 2 médios

- Milho (cozido): 2.9 mg / 1 xícara

- Milho (enlatado): 1.4 mg/ 1 xícara

- Nabo: 12mg / 1 xícara

- Ovos: 0.5 mg / 2 médios

- Polpa de laranja (concentrado congelado): 0.50 mg / 340 gramas

- Tangerinas (frescas): 0.40 mg / 2 médias

Alimentos que contêm Zeaxantina

- Couve: 20mg / 1 xícara

- Nabo: 12mg / 1 xícara

- Espinhafre: 12mg / 1 copo

- Brocólis: 3,4 mg / 1 xícara

- Ervilhas verdes: 2mg / 1 xícara

- Pimentão laranja 1,5mg / 1 copo

- Gema do Ovo 0,25 mg/ 1 gema

- Sumo de laranja 0,3 mg / 1 copo

- Repolho cozido: 14,6 mg / 1 copo

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Como o Colágeno - ou a falta dele - Impacta sua Pele



O colágeno é um aminoácido de cadeia longa composto por aminoácidos individuais, tais como glicina, prolina, hidroxiprolina e arginina. A mais abundante das proteínas do corpo é encontradas nos tecidos conjuntivos, músculos, ossos, tendões, vasos sanguíneos e sistema digestivo, e compreende 70% da proteína da pele, beneficiando muitas áreas do corpo, incluindo cabelos e unhas.
 
Por volta dos 20 anos, o colágeno no corpo começa a diminuir, e no momento em que você atinge 80 anos, você tem cerca de quatro vezes menos colágeno, o que explica a flacidez da pele.

Fatores ambientais como poluição e estilo de vida, assim como a má nutrição, podem diminuir a produção de colágeno, diminuindo a elasticidade da pele e envelhecendo os ossos e articulações.

O colágeno é a proteína mais importante para manter a pele com uma aparência jovem e vibrante, este composto de aminoácidos essenciais só pode ser obtido através da dieta, pois o corpo humano não pode produzi-lo.

A pele clara, firme e brilhante começa dentro do seu corpo, então é verdade que você é o que você come. As primeiras coisas nas quais você deve se concentrar são as áreas do seu corpo que são melhoradas ou sofrem de acordo com sua dieta. As toxinas cobram um preço, mas os órgãos específicos que afetam a produção de colágeno incluem: 

- Seu intestino delgado e grosso, conforme liberam nutrientes para o seu corpo e ajudam a manter a movimentação e eliminação dos alimentos. Livrar-se dos dejetos em tempo hábil é crucial (o que é uma das razões pelas quais a fibra é útil). Quando o alimento fica por muito tempo no intestino, sua pele pode ficar opaca, oleosa e manchada. 

- As suprarrenais que funcionam bem produzem hormônios essenciais, incluindo o DHEA, estrogênio, testosterona, progesterona e pregnenolona. Os desequilíbrios hormonais podem promover os problemas de pele. 

- Dois órgãos que filtram impurezas de seu corpo continuamente são seu fígado e rins. Uma dieta deficiente em nutrientes adequados pode afetar esses órgãos importantes e impedi-los de fazer o seu trabalho como deveriam. Isso, por sua vez, pode resultar em uma pele que parece menos do que saudável. 

- Os problemas de tireoide podem afetar negativamente a sua pele e levar a erupções, mas também podem fazer com que sua pele seque, coce, fica flácida ou enrugada. Uma vez que sua tireoide trabalha em direta colaboração com suas glândulas suprarrenais, quando um ou ambos não estão funcionando adequadamente a pele recebe um duplo golpe.


Fatores que Atuam Contra o Desenvolvimento do Colágeno

Certos fatores ambientais e de estilo de vida, infelizmente, podem diminuir a produção de colágeno, seu tom de pele e elasticidade, tornando a produção de uma pele jovem e saudável algo cada vez mais inalcançável com o passar do tempo. Os fatores que podem retardar a capacidade do seu corpo de produzir esta proteína essencial:

- Alterações hormonais

- Remédios

- Excesso de trabalho

- Óleos hidrogenados

- Alimentos processados

- Envelhecimento

- Deficiências nutricionais

- Água fluoretada

- Radiação

- Sol em excesso

- Açúcar

- Estresse

- Desidratação

- Álcool

- Traumatismo

- Saúde Intestinal Ruim

É importante ter uma exposição regular ao sol em uma grande área de sua pele descoberta para aumentar seus níveis de vitamina D. No entanto, manter-se no sol até o ponto de se queimar irá cobrar um preço. As células da sua pele estão continuamente sendo renovadas, mas também destruídas. O ambiente piora isso: a poluição e mesmo partículas de poeira podem contribuir para a velocidade com que a sua pele envelhece.


Alimentos Saudáveis para Produzir uma Pele Saudável

O colágeno está armazenada em ossos de animais, e esta é uma das razões pelas quais o caldo de osso é considerado um superalimento.

Quando cozinha o osso, o colágeno se solta trazendo benefícios curativos quando consumido: relaxamento de ossos e músculos doloridos, combate a infecções e inflamações e, naturalmente, aumento dos seus níveis de energia. Ao fazer o seu próprio caldo de osso, certifique-se de usar apenas a melhor carne de frango ou bovina de animais cultivados organicamente, de animais alimentados com pasto ou com grama.

O colágeno bovino é uma outra ótima fonte e é encontrada na cartilagem, ossos e peles das vacas, é semelhante ao que está no seu próprio corpo. Ele também fornece o que é conhecido como colágeno tipos I e III, os principais componentes da pele, unhas, cabelos, tendões, ligamentos, músculos e ossos, bem como seus dentes, gengivas, olhos e vasos sanguíneos.



Outras Maneiras de Aumentar seus Níveis de Colágeno

Além do caldo de osso e da suplementação de colágeno bovino, há mais algumas coisas que você pode fazer para conseguir colocar mais colágeno na sua vida.

- Estudos dizem que a terapia com luz vermelha, também conhecida como terapia de laser de luz de baixo nível, aumenta o crescimento de colágeno para melhorar as rugas e a elasticidade da pele

- O retinol é um antioxidante usado para aumentar a vida útil do colágeno e bloquear as enzimas que o destroem

- Identificou-se que o ginseng, com suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, aumenta o colágeno na corrente sanguínea e pode ter benefícios antienvelhecimento

- A babosa, ao ser tomada por via oral, quase dobrou a produção de ácido hialurônico e colágeno em participantes de um estudo

- O ácido hialurônico, um composto importante para o colágeno na pele, pode ser encontrado no feijão e tubérculos ou tomado como um suplemento

- Um estudo demonstrou em que a vitamina C essencial é um protetor da pele e cria mais colágeno no corpo

- Os antioxidantes, que protegem contra os radicais livres prejudiciais, aumentam a eficácia do colágeno já existente

- Consumir legumes ricos em vitamina C, como tomates, pepinos, pimentões e brócolis

Vários alimentos saudáveis você pode comer para ajudar a ter uma pele macia, flexível e mais jovem. Não só muitos deles melhoram a produção de colágeno, mas também contêm compostos adicionais para manter a elasticidade e o volume de sua epiderme. 

- O salmão selvagem do Alasca é repleto de ácidos graxos ômega-3, ele ajuda a fornecer apoio adicional ao seu corpo e à sua pele.

- As bagas, como mirtilos, amoras e framboesas, ajudam a proteger sua pele dos danos causados pelos radicais livres e também aumentam o colágeno.

- Laranjas, toranja, limões e limas, com altas quantidades de vitamina C, ajudam a converter os aminoácidos lisina e prolina em colágeno.

- O alho contém enxofre, um componente necessário para a produção de colágeno, mas também contém ácido lipoico e taurina para ajudar a reconstruir as fibras de colágeno danificadas.

- Legumes verdes escuros como a couve, o espinafre e a beterraba aceleram a produção de colágeno e protegem contra radicais livres.

Com informações de Mercola
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...