sábado, 8 de setembro de 2018

Qual nível ideal de Vitamina D no sangue?




A venda de suplementos a base de vitamina D tem sido cada vez maior, mas afinal qual o nível ideal desta substância?

A vitamina D é um hormônio importante e se não estiver presente em nível suficiente, os ossos podem perder espessura e se tornar quebradiços, ou passar por deformações, causando uma condição conhecida como raquitismo, em crianças, ou osteomalacia, em adultos.

A questão está em qual o teor de vitamina D é saudável e qual aponta para deficiência de vitamina.

De acordo com estudos realizados pela Academia Nacional sobre a vitamina D dos EUA, pacientes têm vitamina D suficiente quando apresentam teores superiores a 20 nanogramas por mililitro de sangue, não existem provas de que pessoas com o teor de 30 nanogramas por mililitro sejam mais saudáveis do que as pessoas que apresentam 20 nanogramas por mililitro.

As sociedades médicas brasileiras adotam o limite de 20 ng/ml para adultos saudáveis e de 30 ng/ml para pessoas com doenças como osteoporose, gestantes e para quem fez cirurgia bariátrica.

Melhor Maneira de Obter Vitamina D

A melhor maneira de obter o hormônio é por via solar, e mesmo com o uso de protetor solar não há interferência de forma significativa na produção de vitamina D. A Sociedade brasileira de dermatologia determina que uma recomendação prática é nunca ficar no sol até a pele ficar avermelhada —nesse estágio há degradação, em vez de síntese, de vitamina D.

A dose recomendada de Vitamina D por dia é de 600 UI, veja os alimentos que contém este hormônio:

- 1 gema de ovo - 20 UI

- 100g de atum enlatado - 230 UI

- 100g de salmão - 250 UI

- 100g de sardinha enlatada - 300 UI

- 1 colher de chá de óleo de bacalhau - 400 UI

- 10 minutos de sol - 3000 UI


Leia também:

- Falta de Vitamina D na gravidez pode causar Autismo

- Vitamina D protege contra Resfriados, Gripes e Infecções

- Alimentos ricos em Vitamina K2 - Prevenção contra o Câncer e Doenças Cardiovasculares

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Banho de sol é Afrodisíaco



De acordo com uma pesquisa publicada na revista Clinical Endocrinology, a exposição ao sol pode ter outro efeito sobre os homens além do bronzeado. O estudo realizado por pesquisadores da Áustria aponta que o banho de sol pode aumentar a libido masculina, já que a vitamina D produzida eleva a concentração de testosterona no sangue. 

Durante o estudo, os cientistas analisaram 2.299 homens e descobriram que eles apresentavam uma maior concentração de vitamina D e testosterona no sangue durante o verão, enquanto no inverno essa concentração tendia a diminuir. Como boa parte da vitamina D é sintetizada pela pele ao ser exposta à luz do sol, os cientistas concluíram que era ela a responsável pela variação na concentração de testosterona.

De acordo com os responsáveis pela pesquisa, é preciso agora descobrir se os suplementos de vitamina D têm o mesmo efeito no organismo, já que a exposição excessiva ao sol sem proteção é prejudicial à saúde, e pode levar ao câncer de pele. Especialistas lembram também que, além do sol, a vitamina D pode ser encontrada em alimentos como peixes oleosos, entre eles o salmão, a truta e cavala.

Na população em geral, a testosterona tem funções essenciais, como, por exemplo, manter a força muscular e a densidade óssea. Já nos homens, ela pode ter um impacto sobre a libido e os níveis de energia. Em termos médicos, a falta de libido em homens com baixa concentração de testosterona pode ser tratada por meio de uma terapia de reposição hormonal, alertam os médicos.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Alimentos Ricos em Minerais Essenciais

Os minerais são muito importante para o bom funcionamento do nosso organismo sendo eles que compõem enzimas essenciais e acionam e regulam inúmeros processos do metabolismo.

Alimentos ricos em Minerais

Cálcio

Libera neurotransmissores no cérebro e auxilia o sistema nervoso. Mantém ossos e dentes fortes, ajuda a metabolizar o ferro e é necessário para o bom funcionamento do coração.

Fontes: Brócolis,Queijo tofu, Gergelim, Leite e Couve.

Magnésio

Necessário para a atividade hormonal do organismo e para a contração e o relaxamento dos músculos, incluindo o coração. Sua deficiência pode produzir hiperatividade nas crianças. Câimbras são um sinal de sua carência.

Fontes: Arroz integral, Levedura de cerveja e Cacau.

Zinco

Necessário para a fertilidade no homem e para o armazenamento de insulina. Ele protege do sistema imunológico e combate infecções virais, como gripes e herpes.

Fontes: Cogumelos, Ostras, Ovos caipiras e Levedura de cerveja.

Cobre

Ajuda na absorção do ferro, necessário para a produção de energia, antioxidante e regulador do colesterol.

Fontes: Abacate e Leguminosas.

Iodo

Ajuda na proteção contra os efeitos tóxicos dos materiais radioativos, previne o bócio, estimula a produção de hormônios da glândula tireoide, queima gorduras em excesso e protege pele, cabelo e unhas.

Fontes: Peixe, Abacaxi e Algas marinhas.

Potássio

Necessário para o funcionamento de nervos e músculos e regulador da pressão arterial. A sudorese é uma das causas de perda de potássio, assim como a diarreia crônica e os diuréticos.

Fontes: Banana, Melaço e Abacate.

Manganês

Necessário para o bom funcionamento do cérebro, atua nos problemas de memória, concentração e irritabilidade. Também é essencial no combate a problemas de pele. Esse mineral é antioxidante e necessário no tratamento da artrite.

Fontes: Nozes, Hortaliças e Leguminosas.

Molibdênio

Necessário para a produção de ácido úrico, ajuda a prevenir a impotência sexual e previne a anemia, pois é necessário para o metabolismo do ferro.

Fontes: Ovos caipiras e Farelo e Cereais integrais.

Selênio

Antioxidante, protege o sistema imunológico, melhora o funcionamento do fígado, mantém pele e cabelo saudáveis e protege a glândula tireoide.

Fontes: Atum, Brócolis e Castanha do Pará.

Vanádio

Ajuda a retardar a formação de colesterol, ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue, ajuda a reduzir a pressão arterial e previne doenças cardíacas.

Fontes: Rabanetes, Lagosta e Salsa.

Ferro

Necessário para a produção de hemoglobina e certas enzimas, aumenta as defesas do organismo. É essencial para o fornecimento de oxigênio às células e deve ser consumido em maior quantidade pelas mulheres, uma vez que elas perdem o dobro de ferro que os homens. Sua carência predispõe a fadiga crônica.

Fontes: Feijões, Beterraba, Lentilha, Marisco e Couve. 

Fonte : Dra.Alice Amaral

sábado, 25 de agosto de 2018

Farinha do Maracujá - Bloqueador de Gorduras e Antioxidante




O maracujá é um alimento altamente nutritivo, além de ser rico em antioxidante possui alta concentração de fibra. Uma forma de aproveitar as fibras desta fruta é utilizar a farinha, ela contém fibras que auxiliam em regimes de emagrecimento, reduz taxas de glicemia e colesterol.

Estudos científicos indicam que a casca do maracujá é extremamente rica em pectina, um tipo de fibra que ajuda a reduzir as taxas de glicose no sangue.

O Maracujá tem o poder de baixar as taxas de açúcar no sangue, o que é ótimo para quem tem diabetes. Mas, aos poucos, a farinha feita com a casca do maracujá também se revelou um excelente bloqueador de gordura. Ou seja, impede que o organismo absorva parte desse nutriente presente nos alimentos, deste modo você perde peso.

Pectina - Fibra que Emagrece

A substância responsável pelo poder emagrecedor é a pectina, encontrada em grande quantidade na parte branca da casca da fruta.

A farinha do maracujá tem 20% dessa fibra, segundo estudo feito pelo químico e pesquisador Armando Sabaa Srur, da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

No estômago, a pectina se transforma numa espécie de gel não digerível, provocando sensação de saciedade, com isso, você se sente bem alimentada com uma porção menor de comida. A pectina também reduz a velocidade com que o açúcar entra no sangue – quanto mais lento esse processo, mais a fome demora para voltar a dar sinal.

A fibra presente na farinha de maracujá promove uma faxina no organismo. Ela ajuda a eliminar as toxinas, que, acumuladas, prejudicam o funcionamento dos órgãos e, com isso, desequilibram o metabolismo – o que faz sua dieta emperrar. Só que para facilitar a ação desintoxicante da pectina, é importante beber mais água, no mínimo 2 litros por dia.

Nutrientes extras do Maracujá

• Niacina (vitamina B3): atua na produção de hormônios, melhora a ansiedade, ajuda no crescimento das crianças e protege as paredes do estômago.

• Ferro: previne anemia e aumenta o pique.

• Cálcio: favorece a contração muscular, fortalece ossos e dentes.

• Fósforo: também deixa os ossos fortes, além de melhorar a memória, a oxigenação das células e a circulação.

Fonte: Boa Forma

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Qual a diferença de Chá branco, Chá verde e Chá preto


A Camellia sinensis é a planta que dá origem aos chás:
  • Chá branco;
  • Chá verde; 
  • Chá preto;  
  • Chá Oolong. 
O chá verde é muito popular na cultura oriental, passando a ser consumido no ocidente devido as suas propriedades de melhorar a saúde e emagrecimento. 
Camellia sinensis passou a ser bastante estudada pelos cientistas devido sua composição. 
Rica em compostos como:
  • Catequinas;
  • Bioflavonóides; 
  • Taninos.
Camellia sinensis ajuda no combate dos radicais livres, auxiliando na prevenção de diversas doenças, entre elas o câncer.  
O chá proveniente desta planta, também é rico em :
  • magnésio;
  • potássio; 
  • ácido fólico; 
  • vitaminas C, K,  B1 e B2, que são importante para o funcionamento do nosso organismo.
O que diferencia os chás encontrados no mercado atualmente é a forma como estes são produzidos. 
  • O chá verde representa cerca de 90% da produção chinesa, produzido a partir das folhas da Camellia sinensis que são colocadas no vapor e em seguida passam por um processo de secagem. Essa forma de produção do chá faz com que os ingredientes não sejam oxidados, mantendo assim o bom potencial antioxidantes da planta e preservando seus nutrientes.
  • chá preto constitui cerca de 90% da produção da Índia, onde as folhas da Camellia sinensis passam por várias etapas de processamento, dentre elas a fermentação, que consiste em uma ação enzimática de flavonóis e teaflavinas.
  • O chá Oolong é produzido pela oxidação parcial das folhas da Camellia sinensis, o que ocorre com a ação da enzima polifenol oxidase, presente na folha da planta. É o mais consumido na região sul da China, e por paroximadamente 2% da população mundial, enquanto o chá verde é consumido por 22% da população mundial e o chá preto por 76% a 78% da população mundial, sendo mais difundido nos paises ocidentais.
  • O chá Branco, proveniente dos brotos e flores da Camellia sinensis, contém uma quantidade menor de cafeína e um sabor mais delicado. Entretanto, possui uma quantidade maior de polifenóis, o que confere ao chá propriedades semelhantes ao chá verde, porém mais pronunciadas. Para fazer uma infusão, são necessárias duas colheres de chá da erva para um xícara de água quente.
 Preparo:
O chá verde, por exemplo, deve ser preparado com água mineral (de boa fonte) fervida em panela de vidro (de preferência) de forma que a água não entre em ebulição. 

Em seguida, as folhas secas devem ser colocadas em uma xícara de porcelana (ou cerâmica) branca por dentro. 

Coloca-se a água na xícara, espera cerca de 5 minutos com o recipiente abafado, e em seguida coa o chá com uma peneira, de preferência que seja de inox. 

O chá deve ser bebido assim que preparado para manter suas propriedades terapêuticas.

Contra-indicado para pessoas hipertensas e com hipotireoidismo, devendo ser usado com cautela por pessoas com Glaucoma.


Fonte : anutricionista

Postagem em destaque

Qual nível ideal de Vitamina D no sangue?

A venda de suplementos a base de vitamina D tem sido cada vez maior, mas afinal qual o nível ideal desta substância? A vitamina D é um ho...